A Jornada do Lupe - 4ª temporada

Ir em baixo

A Jornada do Lupe - 4ª temporada

Mensagem por Lupe89 em Dom Out 24, 2010 9:07 pm

Olá pessoal do Lendas de Midgard aqui começa a 4ª temporada da minha fic a Jornada do Lupe

Lupe89
Super Aprendiz
Super Aprendiz

Mensagens : 39
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 28
Localização : Recife

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

1º Capítulo

Mensagem por Lupe89 em Seg Out 25, 2010 2:39 am

A Jornada do Lupe
Volume 4: Vilões
Autor: Lucas Emanuel Batista

Capítulo 1 – A Liberdade

27 de março de 2010, Prisão de Rachel, 9h00min da manhã

Um ano depois de serem julgados e condenados, chega o dia em que, Carol que esta com 21 anos, Lupe com 20 anos, Luclock e Rafael (conhecido como Rafa) com 22 anos e Gabriel com 21 anos serão livres. Os policiais chegam com as bandejas de café da manhã e entrega pra todos e até para Ewertton que está com 23 anos e fica no canto da cela longe dos outros.
– Ah que bom! Esse é o último café da manhã que a gente toma aqui– disse Luclock que depois come o pão com suco de uva.
–E eu que pensava que esse dia não iria chegar nunca– disse Rafa que depois come uma maçã.
–Irmão, por favor, pare de ser pessimista, deveria agradecer por esse dia ter chegado– disse Gabriel que depois come mingau de banana.
–Ah amor, que bom que a gente vai sair daqui– disse Carol que dá um beijo na bochecha de Lupe, mas ele não esta com cara de felicidade– o que foi amor? Se anima ae, por favor.
– Eu estou feliz sim Carol– disse Lupe que depois come uma banana e bebe leite.
–Mas não parece que você esta feliz– disse Carol que depois come pão e bebe leite.
–É que eu estou preocupado com o Ewertton– disse o mago que todos param de comer e olham para o mago.
–Porque Lupe?– perguntou Luclock.
–Porque daqui a seis dias ele vai ser executado– respondeu o mago.
Os cinco olham pra Ewertton que acaba de ficar perto deles e diz:
–Não precisam me dizer, eu sei que vocês estão preocupados comigo, mas vocês não podem fazer nada, o meu destino já está traçado, vou ser executado.
–Ãhn, Ãhn– disse Gabriel fazendo o sinal de não para o espiritualista– quem disse que esse é o seu destino? Nós vamos mudar isso, quando a gente sair daqui, eu vou pegar todas as minhas economias pra te tirar daqui.
–E as minhas também e vou convencer Maeho e Billy a colaborar também para pagar a sua fiança e sair daqui– disse Rafa.
–Mas é caro pra me tirar daqui, é 25kk de zenys– disse Ewertton.
–O QUE? 25KK!– disseram os cinco ao mesmo tempo espantados.
–Eu vi pela alma de um policial que veio me deixar, vi ele conversando com o delegado e ele disse que é 25kk pra quem me libertar– disse o espiritualista.
–Nossa, eu acho que esse delegado falando assim, parece que você é uma obra de arte– disse Luclock.
–É eu concordo com você, Luclock– disse Ewertton que ele e os outros riram.
–É a primeira vez que você sorrir não é?– perguntou Carol.
–Sim, eu confesso que foi graças a vocês que eu estou assim– respondeu o espiritualista.
Lupe foi pra perto dele e disse botando a mão direita no ombro esquerdo dele:
–Eu também fui assim, mas graças a eles eu sou um cara feliz.
–É eu entendi o que você quer dizer cara– Ewertton faz a mesma coisa que Lupe, bota a sua mão direita no ombro esquerdo do mago– é muito bom ter amigos que gostem da pessoa, mesmo que ela tenha defeitos, e mesmo assim eles aceitam como vocês estão me aceitando, ter amigos é uma terapia.
–Terapia?! De que?– pergunta Rafa.
–De fazer as pessoas felizes, como vocês estão fazendo comigo– disse o espiritualista que chora e Lupe dar um abraço de consolo.
–Eu acho que ele quer outro abraço coletivo, venham aqui– disse o mago que ainda abraça ele e os outros vieram abraçar junto com ele.
Isso é que é ter amizade verdadeira, trate a pessoa bem que você será tratado da mesma forma, isso é um exemplo, não seja um amigo da onça.
Depois desse momento emocionante de amizade, dois policiais entram e um deles diz:
–Está na hora de vocês cinco saírem.
Os seis que ainda estão chorando, olham pros dois policiais e percebendo isso o policial diz:
–Vamos esperar lá fora, e não demorem muito nessa despedida.
Os dois policiais saem deixando a cela aberta e esperam do lado de fora.
Os seis se olharam e cada um se despediu de Ewertton, o primeiro foi Rafa que o abraçou e disse:
–Fique tranquilo que nós vamos tirar você daqui antes que você seja executado, até logo e me desculpe por tudo.
–Tudo bem cara esta desculpado, vá em paz amigão– disse o espiritualista que da uma batinha no ombro do caçador.
Rafa sai enxugando as lágrimas dos olhos, o próximo é Luclock que abraça o espiritualista e diz:
– Você já é o nosso amigo, eu gostei de ficar tocando várias músicas com você aqui, e espero que você seja solto pra que a gente possa tocar mais músicas pra alegrar a todos, até mais.
–Tomara, e que se eu for solto, vou alegrar muita gente e isso irá me fazer bem, vá em paz meu companheiro– disse Ewertton que dá uma batidinha no ombro do bardo.
Luclock sai da cela, o próximo é Gabriel que abraça o espiritualista e diz:
–Você não vai morrer cara, esse não será o seu destino, nós vamos mudar esse destino, você vai sair daqui com certeza, lembre-se bem dessas palavras ok?
–Eu lembrarei Gabriel, vá em paz grande alquimista– disse Ewertton que dá uma batidinha no ombro do alquimista.
Gabriel sai da cela, a próxima é a Carol que abraça e da um beijo na bochecha do espiritualista e diz:
–Ewertton apesar de você ser um espiritualista com esses dons você também é um grande amigo, você me deu tantos conselhos e até pro meu namorado e você será sempre um grande amigo, e eu junto com os outros vamos fazer de tudo pra que você seja livre igual a gente.
–Obrigado Carol, vou me lembrar dessas suas palavras, vá em paz grande lutadora– disse Ewertton que dá um beijo na bochecha e da uma batidinha no ombro dela.
–Estamos te esperando lá fora amor– disse Carol pra Lupe.
–Ok eu já vou, deixa eu me despedir dele– disse Lupe que ela sai da cela.
Ewertton olha pra Lupe e diz:
–Nós temos coisas em comum, nós sofremos muito durante a infância e temos dons é difícil encontrar alguém pra partilhar isso.
–É verdade, olhe você vai servir de grande ajuda, não só pra mim, mas pra todos os meus amigos, eu sinto que você servirá de grande ajuda, e que quando você sair, você irá se juntar ao meu grupo– disse Lupe.
–Mas alguns de seus amigos não querem mais falar com você por causa daquele acontecimento em Morroc– disse Ewertton.
–Bem, agora que já passou um ano acho que já estão muito mais calmos e vão querer aceitar o meu perdão– disse o mago.
–Ah eu entendo, eu sei que eles irão te perdoar, mas e se eles não gostarem de mim?– perguntou o espiritualista
–Eu, Carol e Luclock vamos convencê-los a te aceitarem, caso contrário, vamos viajar só nós quatro– responde o mago
–Ta tudo bem Lupe, eu irei me juntar ao seu grupo caso eu saia daqui– disse Ewertton compreensivo
–E você vai pode apostar, e já esta escrito, até mais cara, fui bom ficarmos aqui, aguente só mais cinco dias cara– disse Lupe que abraça o espiritualista.
–Tudo bem eu já estou acostumado, irei rezar por vocês, vá em paz Lupe– disse Ewertton que dá uma batinha no ombro dele.
Depois que Lupe saiu os policiais fecharam a cela, o mago se encontrou com os outros que o esperavam no corredor e eles acompanhado dos policiais foram até a saída, antes de chegarem a saída eles foram pegar os seus equipamentos numa sala onde os policiais guardam os equipamentos dos presos e o cajado de Lupe estava lá, Lupe pega e sente o cajado e Carol diz:
–Você ainda gosta desse cajado?
–Mas eu preciso dele pra saber onde o meu mestre está– disse Lupe
E quando eles chegaram a saída da prisão um dos policiais disse:
–Bom, boa sorte na vida de vocês e juízo, heim?!
–Pode deixar– disseram os cinco ao mesmo tempo.
Eles abrem o portão e quando saíram e eles fecharam o portão eles gritaram de alegria.
–AEEEEEEEEEE LIBERDADEEEEEEEEEEEEEE– gritou Rafa.
–ENFIM ESTAMOS LIVREEEEEEESSSSS– gritou Luclock.
–AHHHH QUE BOM, SENTIR ESSE CHEIRO DA LIBERDADE– gritou Carol.
–AGORA IREMOS VOLTAR A NOSSAS VIDAS NORMAIS, VIVA A LIBERDADE– gritou Gabriel.
–VIVAAAAAAAA– gritaram os cinco.
–NÓS VAMOS TE TIRAR DAÍ EWERTTON– gritou Lupe olhando pro portão da Prisão de Rachel.
–Ah como é bom gritar depois que gente sai desse lugar, que passamos um ano– disse Luclock.
–É mesmo, e agora vamos ter que juntar as nossas economias pra libertar o nosso amigo espiritualista– disse Rafa.
–Olha, vejam quem estão ali e estão vindo pra cá– disse Gabriel.
Os pais de Rafa e Gabriel chegam junto com Maeho e Billy. Rafa e Gabriel correram desesperadamente pra abraçarem os pais, emocionados.
–PAPAI! MAMÃE!– gritaram os dois.
–AH MEUS FILHOS– grita a mãe deles.
Eles abraçaram e os quatro choraram, Maeho e Billy também participaram desse abraço coletivo, Carol, Lupe e Luclock olhavam de longe a emoção deles.
–Eu fiquei preocupada com vocês, entrei em depressão, foi horrível, mas graças a esses dois eu fiquei mais calma– disse a mãe ,se referindo a Billy e a Maeho.
–É eu agradeço aos dois por isso– disse o pai.
–Que é isso senhor, agora eles estão bem– disse Billy.
–Olha, Carol, Lupe e Luclock estão ali, vou falar com eles, vamos lá Billy– disse Maeho que foi correndo até os três.
–Podem me dar licença, vou ali falar com os outros– disse Billy pra os pais.
–Pode ir estamos bem agora– disse o pai de Gabriel e Rafa.
Depois que Billy foi, os pais conversaram com os filhos:
–Quem são aqueles três?– perguntou o pai.
–Eles são nossos amigos, conhecemos eles la fora da cidade Rachel, eles estavam em perigo– disse Gabriel.
–Mas nós não queremos que vocês fiquem com eles– disse a mãe.
– O que? Mas porque mamãe?– perguntou Rafa.
–Eles são criminosos, num sei por que eles foram libertados no mesmo dia que vocês– respondem a mãe.
–Se esqueceu que a gente era fugitivos, e nós juntamos a eles por o mesmo motivo, nós num éramos acusados de supostamente deixar o Maeho lá na caverna de gelo?– disse Gabriel.
–Mas o caso de vocês é muito diferente do caso deles, lá em casa a gente conversa melhor, vamos embora– disse o pai.
–Vamos querer que eles venham conosco– disse Rafa.
–NEM PENSAR, VAMOS EMBORA AGORA– disse a mãe que ela e o pai puxaram os filhos, Gabriel e Rafa olharam pra trás e acenaram pra eles.
Depois que se foram Carol, Lupe, Luclock, Maeho e Billy conversavam.
–Pelo visto os pais deles não querem que os filhos falem mais com a gente– disse Lupe.
–É verdade, mas eu e o Billy cansamos de falar as histórias de vocês e eles não estão nem aí e disseram que quando os filhos saírem, vão querer eles longe de vocês– disse Maeho.
–Tudo bem eu entendo, é a decisão deles, se eles pensam assim a gente não pode fazer nada– disse Lupe.
–Bem, mas e aí, como vai ser a vida de vocês daqui pra frente?– perguntou Billy.
–Eu não sei, mas agora estamos preocupados em querer tirar o Ewertton daí– disse Carol.
–Ah é aquele tal espiritualista especial que o Gabriel estava falando quando eu e o Billy fomos visitar vocês?– perguntou Maeho.
–Sim é esse mesmo, e prometemos a ele que vamos fazer de tudo para libertá-lo– respondeu Luclock.
–É ,e como vocês pretendem fazer isso? É muito caro a fiança– disse Billy.
–É 25kk pra libertar ele, o delegado parece que o Ewertton é uma obra de arte valiosa– disse o bardo.
–Caramba 25kk, e como vocês vão arranjar tantos zenys?– perguntou Maeho.
–Bem, nós queremos a colaboração de vocês ajudarem a pagar a fiança pra libertá-lo– disse Carol.
–Epa, nem pensar, eu sinto muito, mas eu não vou– disse Billy.
–Mas eu vou, tou com tanta grana que ganhei dando entrevista ao Jornal e a Rádio Midgard que talvez ajude– disse Maeho.
–Por que é que você não quer ajudar, Billy?– perguntou Lupe.
–Me desculpe, Lupe, mas eu tenho medo que ele faça alguma coisa de ruim quando ele sair– respondeu Billy.
–Se ele tivesse feito alguma coisa de ruim, nem eu, nem Carol, nem Luclock, nem Rafa e nem Gabriel estaríamos aqui pra contar essa história– disse Lupe.
–É verdade e ele é um espiritualista muito gente fina, ele está preso porque ele tem dons– disse Luclock.
–Que dons?– perguntou Billy.
–Ele vê na alma da pessoa a vida dela, lê mentes e prevê o futuro como o Lupe– responde o bardo.
–Nossa, o Lupe já me contou sobre ele prevê o futuro através dos sonhos, não é?– pergunta Billy que olha pra Lupe.
–Sim é verdade e, por favor, Billy ajude-nos a libertar o espiritualista, ele vai servir de grande ajuda pra mim e pra você– disse Lupe.
–Pra mim? O que é que ele vai fazer? Matar monstros com o poder da mente? Por favor, me desculpe, mas eu não quero– disse Billy.
–Ok tudo bem, não vou insistir, vamos embora que estou cansado– disse Lupe.
– É eu também, quero me deitar na cama macia de uma estalagem com o meu amor– disse Carol que pega a mão de Lupe.
–Vamos, eu pago a estalagem de vocês– disse Maeho.
–Ah que bom, então tchau Billy– disse Luclock.
–A gente se vê mais tarde Billy– disse Maeho.
–Tudo bem– disse Billy.
Mas quando os quatro se distanciam de Billy, Lupe aproveita pra dar uma olhada nele de longe e Billy olha pra ele, como se estivessem sem encarando de longe.
–O que foi amor?– perguntou Carol.
–Nada vamos embora– responde Lupe.
Depois que os quatro se foram, Billy foi caminhando em direção ao seu local de trabalho que é a Refinaria, mas ele ficou pensativo sobre o que Carol, Lupe e Luclock disseram sobre o espiritualista Ewertton.

Lupe89
Super Aprendiz
Super Aprendiz

Mensagens : 39
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 28
Localização : Recife

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Jornada do Lupe - 4ª temporada

Mensagem por Admin em Seg Out 25, 2010 11:14 pm

produção danada ai viu...

_________________
avatar
Admin
Transclasse -99/70 Aews !!
Transclasse -99/70 Aews !!

Mensagens : 149
Data de inscrição : 27/05/2010
Idade : 31
Localização : Recife

Ficha do personagem
Habilidade Inicial: 10
Nível de Magia: 12
Pontos de vida: 18

Ver perfil do usuário http://lendasdemidgard.forumais.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Jornada do Lupe - 4ª temporada

Mensagem por Admin em Qua Nov 17, 2010 12:27 pm

quando chega mais hein lupe ?

_________________
avatar
Admin
Transclasse -99/70 Aews !!
Transclasse -99/70 Aews !!

Mensagens : 149
Data de inscrição : 27/05/2010
Idade : 31
Localização : Recife

Ficha do personagem
Habilidade Inicial: 10
Nível de Magia: 12
Pontos de vida: 18

Ver perfil do usuário http://lendasdemidgard.forumais.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Jornada do Lupe - 4ª temporada

Mensagem por Lupe89 em Qua Nov 17, 2010 12:29 pm

por causa da faculdade tah difícil, mas eu ja estou passando o capítulo 2 pro word,ok? Mas calma, no caderno eu ja estou escrevendo o 4º capítulo

Lupe89
Super Aprendiz
Super Aprendiz

Mensagens : 39
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 28
Localização : Recife

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

2º capítulo

Mensagem por Lupe89 em Sex Nov 26, 2010 4:57 pm

Ae pessoal, sobrou um tempo agora pra eu terminar de passar o 2º capítulo pro word, e agora posto aqui, sobre o terceiro capítulo, vou postar depois das provas, que vai ser na semana que vem, até lá sejam pacientes e boa leitura.

Capítulo 2 – Por uma boa causa

31 de março de 2010, Estalagem de Rachel, 12h30min da tarde

Quatro dias se passaram depois que os cinco saíram da prisão, mas eles ainda estão preocupados com Ewertton, o espiritualista, Lupe, Carol, Luclock e Maeho se reuniram no térreo da estalagem.
–Eu só tenho 8kks de zenys, isso foi com o que ganhei dando entrevistas– disse Maeho contando o dinheiro e pondo na mesa.
–Depois que a gente ficou preso temos pouca grana– disse Luclock.
–E juntando tudo da...– disse Carol que junta a quantia de cada um dos três.
–350k de zenys– finaliza Lupe que depois continua– mas isso não dá, é 25kk pra pagar a fiança de Ewertton.
–Era bom que você herdasse uma parte da fortuna do seu avô não é Lupe?– disse o bardo.
–Luclock, por favor, num toca nesse assunto não, logo numa hora dessas, só falta dois dias pra ele ser executado– diz Lupe desesperado.
–Relaxa Lupe, o Gabriel e o Rafa vão vir ajudar também, pena que eles vão ter que sair de casa escondidos dos pais– disse Maeho.
–Falando neles– disse Luclock que Rafa e Gabriel entraram na estalagem e foi ao encontro deles.
–Boa tarde pessoal como foi o almoço?– pergunta Rafa.
–Foi muito bem, obrigada, e aí quanto é que vocês têm?– perguntou Carol.
–Bem com toda a minha economia de poções– Gabriel tira a carteira do bolso, conta e depois diz a quantia– 4,5kk de zenys.
–Eu só tenho 1kk e 250k de zenys– disse Rafa depois de contar quanto tinha na sua carteira.
–Somando tudo da 14kk e 100k de zenys– disse Carol.
–Droga isso não é suficiente, só falta 10kk e 900k de zenys pra dar 25kk para pagar a fiança de Ewertton– disse Lupe com raiva.
–Tenha calma amor, é só isso que temos, mas falta dois dias e daqui pra lá a gente arruma mais grana– disse Carol acariciando o braço de Lupe.
–E como a gente vai fazer isso?– pergunta o mago.
–Eu vou vender as minhas poções no mercado de Rachel e vou vender muitas e com essa grana vou ajudar ok, Lupe?– disse Gabriel.
–Obrigado Gabriel e boas vendas– disse Lupe apertando a mão dele.
–Até mais tarde pessoal– disse Gabriel saindo da estalagem levando o carrinho cheio de poções.
–Eu vou caçar Ventos de Colina, Roween e Galion pra vender carne crua e assada, aqui em Rachel o povo adora– disse Rafa.
–Eu vou pra Praça de Rachel fazer o meu show– disse Luclock pegando o seu violão.
–E vocês dois vão fazer o que?– perguntou Maeho.
–Ihhh... isso a gente ainda não sabe, não é amor?– perguntou Carol.
–Que tal ajudarmos Luclock no show?Podemos fazer várias combinações só pra apresentar pro pessoal– disse Lupe.
–Boa idéia amor, mas precisamos de monstros pra fazer alguns de nossas combinações funcionarem– disse Carol.
–Não tem problema, tenho alguns galhos secos aqui, mas tenham muito cuidado, não sabemos qual monstro irá sair– disse Maeho dando uma sacola de galhos secos.
–Bom, vamos trabalhar pessoal, depois a gente se encontra aqui– disse Lupe.
–OK– disseram os quatro em coro.
Enquanto eles saíram do hotel, Billy ficou observando-os.

Mercado de Rachel, 13h30min da tarde

Gabriel no seu ponto de venda ficou gritando:
–POÇÃO BRANCA POR 920 ZENYS, POÇÃO AZUL POR 2K E 200 ZENYS, POÇÃO AMARELA POR 350 ZENYS, POÇÃO LARANJA POR 200 ZENYS E POÇÃO VERMLEHA POR 90 ZENYS, TENHO MUITAS POÇÕES, APROVEITA QUE ESTA BARATO, VENHA COMPRAR.
O povo escutou foi correndo pra onde o alquimista vendia e gritaram:
–EU QUERO CINCO AZUIS!
–QUERO DUAS BRANCAS!
–QUERO DEZ AMARELAS!
E aí foi a confusão pra comprar e quando a multidão enlouquecida pelas poções saiu, Gabriel ficou feliz com toda a grana que ele ganhou.
–Poxa vida, vendi muitas poções, os outros vão ficar felizes em saber disso.
Ele conta o dinheiro e guarda na sacola de zenys. Billy vê o alquimista, se aproxima e diz:
–Boa tarde, Gabriel.
–Boa tarde, Billy esta a fim de comprar uma poção, infelizmente só tenho poucas poções por causa da promoção que eu fiz.
–Quero não obrigado, e pelo visto você esta lucrando muito não é?– pergunta o ferreiro.
–Sim, pelo jeito eu estou– responde o alquimista.
–E o que você vai fazer com essa grana?
–Estou juntando pra pagar a fiança de Ewertton pra que ele seja solto– respondeu o alquimista.
–Porque você esta fazendo isso? Não deveria soltar um espiritualista doido– disse Billy.
–Estou fazendo isso por uma boa causa, ele vai ajudar muito na jornada do Lupe, da Carol e do Luclock– respondeu o alquimista.
–Quem deveria fazer isso são eles e não você, o Maeho e o Rafa– disse o ferreiro.
–Eu queria que você ajudasse afinal eu soube que o Lupe contou tudo sobre o seu pai, mas a maior parte que ele contou, foi o espiritualista que disse a ele, pra ele falar isso a você– disse Gabriel.
–É eu fiquei sabendo pelo Lupe que até me estressei na hora que eu estava conversando com ele, mas eu não sabia que foi esse espiritualista doido que contou pra ele– disse Billy.
–Agora que você já sabe, porque você num ajuda a gente, você é rico e pode muito bem pagar a fiança de Ewertton pra que ele saia– disse Gabriel.
–Eu já disse que não quero, então uma boa tarde e uma boa venda pra você– disse Billy que sai de perto.
–Boa tarde Billy e obrigado– disse Gabriel.
Enquanto caminhava Billy continuava pensativo em saber porque eles estão fazendo isso. E pra ter certeza foi procurar por Rafa.

Campos de Rachel, 14h00min da tarde

Rafa estava caçando nos Campos de Rachel, Ventos da Colina, Roween e Galion, ele vê um grupo de Galions e Roweens e pega uma flecha, coloca no arco, mira pra cima e grita:
–CHUVA DE FLECHAS!
Ele atira pra cima e depois caem várias flechas encima deles matando um por um.
–Eita vai ter carne assada que não acabar mais.
Depois ele vê um Vento da Colina que dá um rasante encima do caçador e consegue atingi-lo, machucando o ombro direito dele.
–Você me paga!
Ele prepara a flecha, coloca no arco e mira no monstro que prepara outro rasante e grita:
–DISPARO VIOLENTO!
A flecha atinge violentamente o monstro que acaba atravessando o pulmão dele saindo pelas costas .
–Agora você vai pro fogo por ter me acertado.
–Rafa você esta bem– disse Billy que chega e vê Rafa que esta botando a mão no ombro ferido.
–Tirando isso eu estou bem, pode me ajudar a carregar esses monstros? Vou fazer tanta carne assada pra vender– responde o caçador que depois geme um pouco por causa da dor.
–É claro, cara vou te ajudar sim– disse Billy que pega os monstros e carrega pelo braço.

Casa de Gabriel e Rafa, 14h15min da tarde

A casa deles ficava perto do Mercado de Rachel e no quintal da casa, já tinha uma churrasqueira e uma mesa onde tinha os molhos e acompanhamentos, e outra mesa com espetos e pratos grandes, tudo perparado pra fazer carnes assadas que só Rafa consegue fazer.Minutos depois com o curativo no ombro, Rafa coloca o avental, começa a cortar a carne, colocar no espeto e botar na churrasqueira pra assar.
–Nossa você faz churrasco disso como ninguém, parabéns– disse Billy.
–Obrigado cara, eu gosto de fazer isso– disse Rafa que continua a colocar mais pedaços de carne no outro espeto e depois coloca na churrasqueira.
–Mas porque você esta fazendo isso?
Depois que Rafa joga o molho de churrasco encima das carnes que estavam na churrasqueira, ele responde:
–Eu estou fazendo isso por uma boa causa Billy, que é tirar um amigo da cadeia.
–Até você? O seu irmão, o Lupe, a Carol e o Luclock estão fazendo isso, num entendo– disse Billy.
–Billy, esse espiritualista é muito gente fina e vai ajudar muito o Lupe, a Carol, o Luclock e os amigos deles, e eu gostei muito do espiritualista e vou querer que ele saia da cadeia– disse Rafa.
–Ah tah, entendi– disse Billy que ficou meio sem jeito.
–O Maeho também esta ajudando, foi fazer uma entrevista contando do acontecido na Caverna de Gelo lá na filial do Jornal de Rune Midgard, porque é que você num ajuda também?– pergunta o caçador.
–Eu não quero ajudar um espiritualista doido, eu já até disse isso pro seu irmão Gabriel– disse Billy.
–Ok, mas ele tem coisas a mais pra dizer sobre o seu pai– disse Rafa.
–Eu nem quero saber, boa venda pra você e passar bem– disse Billy que sai.
–Obrigado e passar bem pra você também– disse Rafa que volta a fazer as carnes assadas no churrasco.

Filial do Jornal de Rune Midgard, 15h10min da tarde

Billy estava na sala de espera na Filial do Jonal de Rune Midgard esperando Maeho, em cada cidade há uma filial do Jornal de Rune Midgard, a principal fica em Prontera, que estava fazendo uma entrevista, quando acabou ele saiu de lá contando o dinheiro e viu Billy e disse:
–Você esta me esperando?
–Sim, eu vi aqui lhe fazer uma pergunta– disse Billy que faz a mesma pergunta que fez pra Rafa e Gabriel.
–Como eles já responderam pra você, eu nem preciso falar que estou fazendo a mesma coisa, que é pegar essa grana que ganhei fazendo a entrevista pra juntar com a grana que os outros acumularam pra pagar a fiança de Ewertton.
–Mas você nem conhece ele Maeho, porque esta fazendo isso?
–Billy, se os meus amigos falam que ele é uma boa pessoa, eu sei que o povo fala que ele é doido só por causa dos dons que ele possui, eu acredito nos meus amigos e vou fazer isso por eles.
–Quer dizer que se eles mandarem você comer bosta você vai lá e come?– pergunta o ferreiro tirando onda.
–Hum– Maeho faz uma cara de raiva e depois diz– nada a ver, se esse espiritualista fosse ruim, aí eles não estariam mais aqui fora, olha eu vou ajudar eles e ponto final, por que você não nos ajuda? Ele é um cara legal! Afinal eu soube que o Lupe te contou tudo sobre a vida do seu pai, mas a maior parte que o Lupe contou foi Ewertton que disse isso.
–Como é que você sabe disso?– pergunta o ferreiro.
–Rafa e Gabriel e contaram tudoe cada um esta fazendo o que pode pra juntar 25kk pra pagar a fiança de Ewertton pra que ele seja livre e que ajude o grupo de Lupe– respondeu o mago.
–Eu nem vou perguntar pra aqueles três porque eles devem estar fazendo alguma coisa pra arrecadar dinheiro não é?
–Soube que eles estão fazendo um show na praça da cidade– responde o mago.
–Que show?– pergunta Billy curioso.
–Só vendo pra descobrir, vem comigo– disse Maeho que ele e Billy vão pra Praça de Rachel.

Praça de Rachel, 15h30min da tarde

Um monte de gente se formou, incluindo Maeho e Billy que chegaram pra ver o show que Carol, Lupe, Luclock estavam fazendo, eles estavam lutando com um monstro chamado Alma Penada fazendo (e ensinado) combinações de ataque.
–Agora vamos fazer uma nova combinação de ataque querem ver?– pergunta Carol pro povo.
–SIIIIMMMM– responde todos que assistem.
–Essa técnica se chama Chute Aéreo da Bola de Fogo Sagrada, preparado Lupe?– pergunta Carol.
–Estou pronto– responde o mago.
–Aqui vai o suporte pra acelerar na conjuração– Luclock pega o violão e grita– POEMA DE BRAGI!
Aparece várias notas musicais em torno do bardo e como Lupe esta perto do bardo, as notas musicais o envolveu pra que o mago conjurasse mais rápido a magia. Enquanto isso Carol se concentrava e depois grita:
–BRISA LEVE SAGRADA!
Um vento branco envolveu Carol e ela pede pro caçador que estava com a armadilha que segurava o monstro:
–Pode soltar.
O caçador solta e o monstro vai pra cima dela, Lupe começa a invocar a magia de fogo segurando o cajado com a mão esquerda e pôs a mão direita encima do símbolo do cajado, Carol corre salta e grita:
–CHUTE AÉREO SAGRADO!
O pé direito dela, que o qual vai dar o golpe na Alma Penada fica branco, e quando começa a ir em direção ao monstro, a magia de Lupe esta pronta, ele usa a mão direita aberta que aparece uma bola de fogo e mira em direção ao pé direito branco da lutadora e grita:
–BOLA DE FOGO!
Lupe joga a bola de fogo e ela atinge o pé direito branco de Carol e a bola de fogo envolve o pé dela e fica branco, todos ficaram impressionados e ela foi com tudo pra cima do monstro e grita:
–TOMA ESSE CHUE AÉREO DA BOLA DE FOGO SAGRADA!
O chute atingiu bem na barriga do monstro, e ele começa a se queimar pelo fogo branco e depois morre desaparecendo em seguida. Todos bateram palmas e jogaram os zenys em cédulas e moedas em duas caixas médias.
–Obrigado a todos que assistiram, espero que alguns magos e lutadores taekowndo aqui presentes tenham aprendido essas combinações que ensinamos– disse Lupe ao povo.
– E obrigado as meninas por me verem cantar, eu amo vocês– disse Luclock jogando um charme pra as garotas da praça que se apaixonaram por ele e deram todos os zenys que tinham pra o bardo.
–Vê se me liga, gatinho– disse uma delas.
Depois que as pessoas saíram os três viram Billy e Maeho, o mago disse:
–Que combinação incrível vocês fizeram, gostei muito.
–Que bom que você gostou Maeho, trabalhamos muito nessas combinações– disse Lupe.
–Aposto que vocês estão fazendo isso por uma boa causa não é?– perguntou Billy.
–Sim Billy, é por uma boa causa, é pra pagar a fiança de Ewertton– respondeu Lupe.
–Não sei por que vocês estão fazendo isso, esse Ewertton pode ser um criminoso sabiam disso?– perguntou o ferreiro.
–A gente achava antes que ele era um criminoso, mas ele foi preso por que ele tinha esses dons porque uma pessoa conhecida de Rachel não gostou desses dons e mandou ele pra cadeia– disse Lupe.
–Ou seja, isso é preconceito desse povo desse povo, e ele vai ajudar muito a gente– disse Carol emendando a conversa.
–E não vai me dizer que você é preconceituoso, num é Billy?– pergunta Luclock.
–Não é preconceito, eu respeito isso– responde Billy.
–Então é o que?– pergunta Maeho.
–Medo– responde o ferreiro.
Passado uns 15 segundos de silencio, Lupe diz:
–Medo? Você tem medo do espiritualista?
–Aham, eu tenho sim.
–Mas ele não vai fazer nada, aliás eu queria contar mais detalhes sobre a vida do seu pai, ou seja, do meu mestre– disse Lupe.
–Eu não quero mais saber de nada dele– disse Billy.
–Olha, pela sua cara, você esta com vontade de querer saber mais, mas o medo não esta deixando, tenha coragem e vá, o Ewerrton não é um bicho que vai querer te morder, ele só quer conversar com você– disse o mago.
–Espera ae, como é que você sabe que eu estou curioso em saber disso?– pergunta Billy.
–Nossa, Lupe, por essa eu não esperava– disse Luclock.
–Nem eu– disse Carol.
–E muito menos eu– disse Maeho.
–Eu aprendi um pouco com o espiritualista, ele não vai fazer mal a você– disse Lupe.
–É Billy vai, por favor– disse Maeho insistindo.
–Eu vou pensar no caso, até mais tarde– disse Billy que saiu de perto deles e foi em direção a sua ferraria.
–Ele deve ter ficado confuso com a situação– disse Maeho olhando pro ferreiro que pega outra rua e depois o mago olha pros outros.
–Deixa ele, tudo o que ele precisa agora é pensar– disse Carol.
–Será mesmo que ele vai falar com Ewertton?– pergunta Luclock.
–Eu tenho certeza que ele vai– responde Lupe.
–Como você sabe?– pergunta os três olhando pra ele.
–Eu tenho o 6º sentido e ele diz que o Billy vai conversar com Ewertton– responde o mago.

Estalagem de Rachel, 20h00min da noite

Lupe, Carol e Luclock estavam sentados nas cadeiras, eles acabaram de jantar, depois que a garçonete pegou os pratos e copos pra ir direto pra cozinha lavar, Maeho, Gabriel e Rafa chegaram pra conversar com eles:
–Eu trouxe tudo o que eu arrecadei na entrevista– disse Maeho.
–Eu acumulei muitos zenys com a minha venda de poções– disse Gabriel.
–E eu também acumulei muito vendando carne assada– disse Rafa.
–E nós três fizemos uma grande apresentação e ganhamos muitos zenys– disse Lupe.
–É verdade e até ensinamos combinações de ataque para os magos e lutadores taekowndo que estavam lá nos assistindo, eles adoraram– disse Carol.
–E as mulheradas gostaram de me ver tocar e ganhei mais coisas do que zenys– disse Luclock.
–Nem precisa falar o que é, Luclock– disse Carol.
–Vamos juntar pra ver o que temos no total– disse Lupe.
Eles juntaram todos os zenys que acumularam somando com os que tinham antes.
–Somando tudo isso da 22kk– disse Maeho.
–Só falta 3kk pra gente pagar a fiança de Ewertton– disse Rafa.
–Estamos cansados, é melhor a gente continuar amanhã, porque com certeza já teremos os 3kk que falta– disse Gabriel.
–Isso mesmo falou e disse brother– disse Rafa abraçando o irmão.
–Só que eu não tenho mais entrevistas marcadas pra amanhã, infelizmente eu não poderei ajudar mais– disse Maeho.
–Tudo bem cara, você colaborou muito e fez isso por uma boa causa, muito obrigado– disse Lupe que foi apertar a mão dele e depois abraçou.
–É cara eu concordo com o meu amigo Lupe, muito obrigado– disse Luclock que fez a mesma coisa.
–Muito obrigada por nos ajudar, Maeho querido– disse Carol que deu um beijo na bochecha e um abraço.
–Bem eu tenho que ir, boa noite e boa sorte pra vocês– disse Maeho.
–Boa noite Maeho– disseram os cinco em coro.
Maeho sai da estalagem indo direto pra sua casa, Gabriel pegou uma sacola onde guarda os zenys e deu pra Lupe.
–Toma, guarda todo esse dinheiro aí, pra quando for amanhã a gente coloca os 3kk que falta e vamos direto pra prisão pagar a fiança de Ewertton.
–Ta– disse Lupe pegando a sacola que ele, Carol e Luclock pegaram o dinheiro que tava na mesa e colocaram na sacola.
–Nós temos que ir, senão nossos pais ficam preocupados– disse Rafa.
–É verdade, temos que ir, boa noite pra vocês– disse Gabriel.
–Boa noite– disseram os três em coro.
Enquanto Gabriel e Rafa saíram da estalagem e Carol, Lupe e Luclock subiram pros quartos levando a sacola cheia de zenys, Billy ficou observando da janela da estalagem e ficou pensando:
“Porque será que eles querem salvar esse espiritualista? E porque o Lupe disse que ele sabe mais coisas da vida do desgraçado do meu pai?”
Ele ficou pensando e depois decidiu ir pra prisão de Rachel falar com ele, e ele foi.

01 de abril de 2010, Estalagem de Rachel,09h30min da manhã

Lupe e Luclock estavam tomando café no térreo e Carol saiu do quarto dela, desce as escadas e vai até a mesa deles com cara de enjôo.
–Bom dia pessoal.
–Bom dia querida, o que você tem? Esta com cara de enjôo– disse Lupe.
–Amor... eu estou grávida– respondeu Carol.
–GRÁVIDA?– disseram Lupe e Luclock ao mesmo tempo.
–Sim eu estou tão enjoada que eu vomitei, acho que isso é o primeiro sinal de que estou grávida– disse Carol acariciando a própria barriga.
–Parabéns Lupe, você vai ser papai– disse Luclock dando umas batidinhas nas costas de Lupe– eu quero ser o padrinho dessa criança.
–Eu nem sabia disso, porque você não me avisou querida?– perguntou o mago.
–Porque É MENTIRA– respondeu Carol que depois rir e diz cantando– enganei os bobos, na casca do ovo, quem cair caiu, no dia primeiro de abril.
Ela riu mais um pouco e Lupe diz com raiva:
–Poxa, que susto num faça mas isso não.
–E eu pensando que fosse ser padrinho dessa criança– disse Luclock meio sem graça.
–Me desculpe amor– disse Carol que beija a bochecha dele e continua– é que hoje é primeiro de abril, dia da mentira.
–Ok esta desculpada, vem tomar seu café– disse Lupe fazendo sinal pra ela se sentar.
–Ah obrigada amor– disse Carol que senta e começa a comer.
Enquanto ela come, Lupe e Luclock conversam.
–Amanhã é o dia em que Ewertton será executado– disse Luclock.
–Nem me fale, e nós temos que conseguir hoje os 3kk que faltam– disse Lupe.
–Relaxem rapazes, a gente vai conseguir– disse Carol depois de comer pão com leite.
Gabriel, Rafa e Maeho entraram na estalagem e foram ao encontro deles.
–Bom dia pessoal, estão gostando de tomar café da manhã aqui?– perguntou Rafa.
–Sim Rafa, aqui é muito gostoso– disse Carol de boca cheia que ela estava comendo mamão.
–Temos uma coisa pra contar pra vocês– disse Maeho.
–E o que é?– perguntou Luclock.
–Conseguimos os 3kk que faltam– disse Gabriel.
–Ah que bom Graças a Deus a gente vai tirar Ewertton da prisão– disse Lupe botando as mãos pra cima agradecendo.
–Ah que bom saber disso– disse Carol.
–Que legal a gente vai tirar o espiritualista da prisão– disse Luclock.
–Me desculpem pessoal mas– diz Maeho que depois ele, Gabriel e Rafa cantarolaram juntos– ENGANAMOS OS BOBOS, NA CASCA DO OVO, QUEM CAIR CAIU, NO DIA PRIMEIRO DE ABRIL.
Depois riram e Carol, Lupe e Luclock ficaram com raiva.
–Calma pessoal, é só uma brincadeira, hoje é o dia da mentira e todo mundo mente nesse dia– disse Rafa.
–Já estou começando a não gostar desse primeiro de abril– disse Luclock.
–E eu estou odiando– disse Lupe.
–Eu gosto desse dia– disse Carol.
–Me desculpe pessoal a gente só queria brincar– disse Gabriel.
–Ta tudo bem– disse Lupe.
Gabriel, Maeho e Rafa pegaram umas cadeiras e colocaram na mesa onde Lupe, Carol e Luclock ficaram e se sentaram.
–Bem, agora é sério, nós vamos conseguir os 3kk que restam e vamos libertar Ewertton hoje– disse Gabriel.
–Eu já fiz a minha parte– disse Maeho.
–Eu vou caçar mais monstros e fazer carne assada e empanada– disse Rafa.
–E eu vou vender mais poções que eu fiz durante a madrugada– disse o alquimista.
–E nós treinamos umas novas combinações de ataque, não foi querida?– disse Lupe.
–Sim amor, o Luclock também ajudou, não se esqueça– disse Carol.
–Além de ajudar a fazer novas combinações, eu vou tocar mais músicas pra mulherada de Rachel– disse Luclock.
–Já vai começar, não é?– disse Carol.
–Gente, olha quem esta entrando na estalagem– disse Maeho que depois os outros olham e vê Billy entrando na estalagem e indo na direção deles.
–Bom dia a todos.
–Bom dia Billy– responderam os seis.
–Vejo que vocês ainda querem arrecadar dinheiro pra libertar aquele espiritualista não é?– pergunta o ferreiro.
–Sim, e só falta 3kk pra chegar a 25kk e iremos pagar a fiança dele, todos aqui colaboraram e vamos continuar– disse Lupe.
–Mas vocês não precisam mais fazer isso, eu já cuidei de tudo– disse Billy.
–Espera ae, esta querendo dizer que você pagou a fiança de Ewertton?– pergunta Carol se levantando.
–Sim.
–Aposto que é mentira, afinal hoje é o dia da mentira, e você disse que não iria ajudar em nada– disse Luclock se levantando.
–Calma ae vocês três, já que não acreditam em mim, vocês irão acreditar nele– disse Billy.
–Nele quem?– perguntaram os seis ao mesmo tempo.
–Hum–Billy se vira em direção a entrada e grita–PODE ENTRAR!
E finalmente, a pessoa entra na estalagem, e pra a alegria dos seis, a pessoa que entra é o espiritualista Ewertton.
–Bom dia meus amigos, graças ao Billy eu estou aqui.
–Ah Ewertton– Carol saiu do lugar que estava e corre pra abraçar o espiritualista e chora.
–Que bom te ver de novo Carol– disse Ewertton.
Depois de receber o abraço dela o próximo é Gabriel.
–Que bom que você esta bem, cara.
–Eu agradeço a sua preocupação, alquimista Gabriel– disse Ewertton que recebeu o abraço dele.
O próximo é Rafa.
–Ficamos preocupados com você, nós aqui estávamos juntando zenys pra pagar a sua fiança.
–Nossa que loucura vocês fizeram Rafa, mas eu agradeço por vocês tentarem me libertar– disse o espiritualista que recebeu o abraço do caçador.
O próximo é Luclock.
–Cara, eu fiquei criando músicas para lhe homenageá-lo caso a gente não conseguisse te libertar, mas vejo que você esta aqui firme e forte.
–Obrigado Luclock, depois eu quero ouvi-las– disse Ewertton que recebe o abraço do bardo.
E por último o Lupe.
–Eu fiquei muito preocupado com você, porque eu senti que você será de grande ajuda na minha jornada.
–Eu estou vendo agora pela sua alma, você ficou realmente preocupado comigo, muito obrigado pela sua preocupação Lupe e eu garanto que vou ser de grande ajuda no seu grupo e na sua jornada– disse Ewertton que depois recebeu o abraço do mago.
Depois que os cinco abraçaram o espiritualista, Rafa disse:
–Bem, Ewertton eu gostaria de apresentar o meu amigo Maeho, ele também colaborou pra que a gente pagasse a sua fiança.
–Prazer em conhecê-lo Maeho, e muito obrigado por colaborar– disse Ewertton que ele e Maeho apertam-se as mãos.
–De nada cara, eu fiz isso pelos meus amigos– disse Maeho que depois elas param de apertar as mãos.
–Eu só não entendo uma coisa, porque você fez isso Billy?Pensei que você não fosse querer ajudar– disse Lupe.
–Eu fiz isso por uma boa causa– responde o ferreiro.
–Qual causa?– pergunta os sete.
–A felicidade de vocês– respondeu Billy.
Os sete se olharam e depois olharam sorridente pra Billy.
–Por que é que vocês estão com essas caras pra mim?
Os sete ficaram em volta do ferreiro.
–O que vocês vão fazer comigo?– pergunta o ferreiro olhando pra cada um em volta dele.
–Dar um abraço coletivo em você– disse os sete que eles foram abraçar juntos o ferreiro e cantaram– BILLY É UM BOM COMPANHEIRO, BILLY É UM BOM COMPANHEIRO, BILLY É UM BOM COMPANHEIROOOOOOO, NINGUÉM PODE NEGAR.
Isso é a prova de ter amizade verdadeira, Billy fez isso por uma boa causa que é a felicidade de cada um de ver o seu grande amigo que estava na prisão ser solto e se juntar a eles.

Lupe89
Super Aprendiz
Super Aprendiz

Mensagens : 39
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 28
Localização : Recife

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Comunicado

Mensagem por Lupe89 em Seg Dez 20, 2010 7:34 pm

Pessoal, eu sei que voces esperaram muito, mas eu vou dizer o porque, eu estava fazendo provas da faculdade e por causa disso nem deu tempo, pra piorar eu fiquei na final em uma cadeira, mas agora eu estou de férias, GRAÇAS A DEUS.

Mas tenho outra notícia, eu vou viajar, vou passar o natal com a família, mas pra não deixar vocês tristes sem ter capítulo eu consegui terminar de passar o terceiro capítulo e ja vou postar, boa leitura.


Última edição por Lupe89 em Seg Jan 10, 2011 6:06 pm, editado 1 vez(es)

Lupe89
Super Aprendiz
Super Aprendiz

Mensagens : 39
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 28
Localização : Recife

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

3º capítulo

Mensagem por Lupe89 em Seg Dez 20, 2010 7:36 pm

Capitulo 3 – O inimigo de Ewertton

02 de abril de 2010, Estalagem de Rachel, 13h30min da tarde

Depois de almoçar, Carol, Ewertton, Luclock e Lupe conversavam.
–Há muito tempo não como essa comida– disse Ewertton.
–Você ainda não disse quem foi que lhe denunciou?– pergunta Carol.
–Bem, aquele que me denunciou deve estar ainda por aqui– disse o espiritualista.
–Você não nos disse direito quem é, quando a gente estava na cadeia– disse Lupe.
–É cara porque você não diz agora que você esta livre?– disse Luclock.
–Ok, eu conto, o cara que é famoso aqui em Rachel se chama Delima, um justiceiro, ele até queria me matar, mas não queria sujar as mãos aí ele deixou com os fãs e com a polícia– disse Ewertton.
–Aff, que cara mais antipático, e o que ele fez de tão famoso aqui?– pergunta Carol.
–Ele é um herói, disse que já matou alguns MVPs como Abelha Rainha, Bafomé, Edgga, Atroce e Ktullanux– disse Ewertton.
–Espera ai, quem matou o Atroce foi o Billy e quem matou o Ktullanux foi o Lupe– disse Luclock.
–Ele tem fotos dele mesmo matando os MVPS, e quando eu vi, era só arte, desenhos, eu disse sinceramente pra ele que esta mentindo, por isso ele me mandou pra cadeia, por medo, eu vi pela alma dele, ele é uma pessoa viciada– disse o espiritualista.
–Viciado? De que?– pergunta Lupe.
–Alguém que eu não consegui ver quem é fica dando remédios pra ele agir assim, eu não sei como o povo presta atenção– disse o espiritualista.
–E esse cara era bonito?– pergunta Carol e Lupe olha com raiva pra ela– desculpe amor é só uma pergunta, você sempre será o meu amor.
–Ele era bonito, as mulheradas gostavam dele tanto é que ele tinha um caso com algumas e os caras admiravam ele, alguns viravam justiceiros por causa dele– disse Ewertton.
–Acho que hoje ele deve esta dopado com os olhos vermelhos– disse Luclock.
–Eita, que povo é esse? Por isso que tem celebridades como o meu avô, alguns são ambiciosos e antipáticos com esse justiceiro e as pessoas acabam se tornando iguais a eles– disse Lupe.
–Concordo com você mago Lupe, é assim mesmo hoje em dia, tem celebridades que são tão antipáticas que nem falam com alguns fãs e esse justiceiro até me chama de “figura” porque eu só quero aparecer dizendo que algumas de minhas previsões são falsas e disse pra todo mundo– disse Ewertton.
–Nossa, esse cara é um doente mental, aff– disse Carol.
–É drogas que ele toma, tem algumas ervas que são proibidas que deixa a pessoa atordoada e fica doido, tenham muito cuidado– disse Ewertton.
–Ok a gente vai ter quando formos viajar– disse Lupe.
Gabriel, Maeho e Rafa entraram na estalagem e o caçador disse:
–Pessoal o Delima esta na praça fazendo um discurso ridículo, ele já soube que você foi libertado Ewertton, e estão querendo caçar você.
–Aff, ele deve esta doido só pode ser– disse Luclock.
–Eu enfrentá-lo eu não vou mais fugir– disse o espiritualista.
–A gente vai ajudá-lo– disse Lupe.
–Obrigado.

Praça de Rachel, 14h 30min da tarde

Um palanque foi montado, tendo fotos e desenhos do justiceiro Delima que diz no microfone:
–Pessoal, eu não sei quem foi que libertou aquele espiritualista, ele é perigoso, ele pode mandar uma maldição pra cima de vocês, cuidado quando vocês forem encontrar com ele, o nome dele é Ewertton.
–Eu vi o espiritualista na estalagem– disse um homem.
–Atenção meus justiceiros, meu servos que estão aqui– disse Delima mostrando justiceiros homens e mulheres adolescentes– nós vamos pra estalagem acabar com essa aberração, quem está comigo?
Todos gritam: EU!
–NÃO PRECISA VIR ATRÁS DE MIM, ESTOU AQUI– grita Ewertton.
Todos olham pro espiritualista que esta acompanhado de Lupe e dos outros.
–Então você tem amigos, aposto que são aqueles da cadeia não é?– pergunta Delima que desce do palanque e fica frente a frente ao espiritualista .
–Pelo visto ele andou sabendo dos acontecimentos recentes– disse Luclock.
–Posso ate ser doido, mas burro eu não sou, e não sei porque eles deram pena de um ano a vocês cinco– disse o justiceiro.
–Deixe eles fora disso, você não queria a mim então eu estou aqui– disse Ewertton.
–Quanto mais gente melhor, deixa eu apresentar o meu exercito de justiceiros– disse Delima que chama o pessoal.
–Não acredito, eles são adolescentes, vão querer nos matar– disse Carol.
–Num vai me dizer que esta com medo do meu exercito lutadora galinha– disse o justiceiro.
–Olha como você fala da minha namorada– disse Lupe com raiva.
–Então esse mago é seu namorado, nossa que ridículo– disse Delima.
–Você deveria se tratar seu doente mental– disse Rafa.
–Quer saber, vamos ver quem vai sobreviver aqui e o publico ficará assistindo aqui de camarote– disse Delima.
A guerra esta declarada, de um lado Delima e seus justiceiros adolescentes, do outro Ewertton, Lupe, Carol, Luclock, Gabriel, Rafa e Maeho.
–Preparar– diz Delima que ele e os outros preparam as armas–APONTAR– eles apontam as armas em Ewertton e os outros e Lupe e Maeho já invocam uma magia– FOGO.
Delima e os outros começam a atirar, mas Lupe e Maeho já invocam a magia de proteção:
–ESCUDO MÁGICO!
Os escudos mágicos envolveram além dos magos, Ewertton, Carol, Luclock, Rafa e Gabriel. Os tiros atingiram o escudo mágico, enquanto os tiros atingiam o escudo Ewertton diz:
–Deixa o Delima comigo, é a mim que ele quer, vocês cuidam dos outros, mas não os machuquem muito, ok?
–Tah pode deixar, não usarei magia forte– disse Lupe.
–Eu também– disse Maeho.
–Eu e o Rafa não usaremos flechas, eu só vou dar suporte com as minhas melodias– disse Luclock.
–Eu só vou usar o falcão pra dar rasante que não de muita dor, eu já treinei meu falcão em esses casos– disse Rafa.
–Eu só vou usar algumas poções como o fogo grego pra assustar– disse Gabriel.
–Ótimo, vamos lá– disse Ewertton que deu um salto.
Delima viu que ele saltou e ficou olhando pro céu pra ver onde ele estava, os outros saíram do escudo e correram e Delima disse:
–ATRÁS DELES E MATEM-OS!
O grupo se separou e os jovens justiceiros correram atrás deles atirando eles esquivando.
Lupe, Carol e Luclock correram e quatro justiceiros, dois homens e duas mulheres ficaram atirando, Carol salta e grita:
–CHUTE AÉREO!
Um dos chutes atinge uma justiceira que desmaia, os outros aproveitam e atira e três tiros atingem Carol no braço que grita de dor.
–CAROL!– grita Lupe.
Eles deram mais tiros pra atingir na perna dela que grita de dor, Lupe não agüenta e invoca uma magia:
–TEMPESTADE DE RAIOS!
Os raios atingem os justiceiros e eles desmaiam.
–Lupe, não use magias fortes, você deve ter matado eles– disse Luclock.
–Eu exagerei um pouco, não coloquei muita força nas magias, eles estão bem– disse o mago.
–Vamos lá ver– disse Luclock.
Eles correram pra onde Carol e os justiceiros desmaiados estão, Lupe socorreu a namorada, e Luclock verificou os justiceiros.
–Eles estão respirando, mas estão incoscientes.
–Que bom que estão bem, ai que dor– disse Carol.
–Vamos levá-la pro hospital e rápido– disse Lupe que com ajuda de Luclock carregam Carol em direção ao hospital.
No outro canto da cidade, Gabriel, Rafa e Maeho correram dos outros 4 justiceiros e Rafa diz:
–Vou fazer meu falcão dar um rasante neles.
–Faça isso, aí eles acabam com o seu falcão– disse Maeho.
–Ataque eles falcão– disse Rafa e o falcão foi pra cima e deu um rasante em dois justiceiros que desmaiaram, mas os outros dois atiram no falcão que é atingido e cai no chão– FALCÃO!
–Depois a gente pega ele, vamos correr irmão– disse Gabriel puxando ele.
–Eu não vou sair sem o meu falcão– disse Rafa que correu em deireção ao falcão, mas ele foi atingindo pelos tiros dos justiceiros e cai no chão.
–IRMÃO! Maeho me proteja, por favor– disse Gabriel.
–Tah certo–Maeho invoca a magia– ESCUDO MÁGICO!
Vários escudo apareceram em linha indo em direção a Rafa e Gabriel ficou correndo dentro dos escudos, e os justiceiros ficavam atirando e só atingiam os escudos, mas eles tiveram a idéia de atirar no mago, e Maeho criou o escudo mágico protegendo ele mesmo.
–Bela tentativa, mas não funciona, caras– disse Maeho que deu a língua a eles e os justiceiros ficavam atirando.
Gabriel consegue chegar perto de Rafa.
–Irmão agüenta firme, eu tenho poções aqui– disse Gabriel.
–Salve-se irmão, eles vão te matar, me deixe aqui– disse Rafa gemendo de dor.
–Eu não vou sair sem você– disse Gabriel.
Depois eles escutam um grito de dor e Gabriel vê Maeho sendo atingido pelos tiros e cai no chão.
–MAEHO!– grita Gabriel.
–Irmão fuja–disse Rafa.
–Eu não vou fugir– disse Gabriel e os justiceiros miram a arma nele– se quiserem me matar vai ter passar por cima dele, VANILMIRTH APAREÇA.
O Vanilmirth de Gabriel que é uma gelatina mutante avança pra cima dos justiceiros e um deles aproveita pra atirar em Gabriel e ele é atingido no ombro e ele geme de dor.
–IRMÃO!– grita Rafa.
O mascote de Gabriel fica com raiva e avança mais rápido pra cima dos justiceiros e ataca sem dó nem piedade e acaba com os justiceiros. Depois que acaba ele vai em direção ao alquimista e ele diz:
–Tudo bem Vanil, eu tenho remédios e folhas de Yggdrasil aqui.
O Vanilmirth pula de alegria.
Delima ainda continua procurando por Ewertton e ele grita:
–APAREÇA SEU ESPIRITUALISTA COVARDE!
O espiritualista deu um ataque rápido em cima do justiceiro usando um soco na barriga dele e o Delima geme de dor
–Seu Filho da Mãe, eu sempre odiei você e essas suas previsões ridículas.
–Largue desse vício, pare de tomar essas drogas, você esta se prejudicando– disse Ewertton.
–Como você sabe que estou tomando as drogas, seu figura?– pergunta Delima que o povo solta um OHHH!
–Eu vi pela sua alma, e você vai acabar prejudicando a sua carreira e um monte de fãs seus vão acabar sendo que nem você como aqueles 8 justiceiros que você mandou correr atrás dos meus amigos– disse o espiritualista.
–Cala essa boca seu figura, eu quero mais que você morra!– disse Delima.
Ewertton aproveita e invoca uma magia de espírito:
–KAIZEL!
O corpo dele é envolvido por uma luz branca e azul e depois some. Delima pega uma metralhadora e atira em direção a Ewertton.
–MORRA!
Ele atira várias vezes e os tiros atingem Ewertton e ele cai no chão sangrando e morre.
Delima comemora e atira pra cima e a multidão corre com medo.
–AHHH! Que bom o espiritualista morreu, o bruxo morreu, ele não irá mais me incomodar, HAHAHAHA.
Ele tira uma garrafa do bolso, que continha a droga e bebe e fica mais doido.
–AGORA SIM, VOU FORMAR UM EXÉRCITO DE JUSTICEIROS PRA ACABAR COM GUILDA DOS ESPIRITUALISTAS, NEM DEVERIA EXISTIR ESSA BOSTA DESSA GUILDA.
De repente as balas que estavam alojadas no corpo de Ewertton saem e o espiritualista se levanta, e o justiceiro fica assustado.
–AH NÃO O FANTASMA DESSE ESPIRITUALISTA ESTA AQUI!
–Não sou fantasma, eu ainda estou vivo, eu só me apaguei por alguns minutos e deu pra escutar tudo o que você disse, seu doido– disse o espiritualista.
–Como você conseguiu escutar tudo, seu figura?– disse Delima.
–Eu sou um espiritualista, mesmo que eu esteja apagado por alguns minutos, eu consigo escutar através do meu espírito, e você não vai acabar com todos os espiritualistas– disse Ewertton.
–Ah vou sim, eu sou inimigo deles e de você também seu figura, aliás todos os espiritualistas são figuras só querem aparecer– disse o justiceiro.
–Eu não tenho outra escolha a não ser matá-lo eu não vou deixar você acabar com os meus colegas espiritualistas e eles não são figuras, eles ajudam todas as pessoas, dão conselhos e ajudam nas batalhas.
–BLAH, BLAH, BLAH, eu não quero nem saber, eu vou te matar– disse Delima que mira a metralhadora nele e Ewertton rapidamente dá um salto e o justiceiro erra os tiros.
O espiritualista desce do céu e invoca outra magia de espírito:
-ESTUN!
Umas bolhas espirituais andam em direção ao Delima e quando passa sobre ele, o justiceiro fica atordoado.
–Ai que dor de cabeça, EU ODEIO VOCÊ E TODOS OS ESPIRITUALISTAS!
–Não agüento mais– disse Ewertton que não agüenta mais escutar as palavras do justiceiro e diz outra magia– ESMA!
Dois círculos espirituais cortantes de cor branca aparecem e vão em direção ao justiceiro e o atingem cortando e ele morre em seguida. O espiritualista chora, a multidão aparece e vê o Delima morto e depois olha pro espiritualista e ele diz:
–Me perdoem, ele me prejudicou muito e queria matar todos os meus amigos e a morte é a única saída, porque ele estava drogado.
Em vez de a multidão vaiar pro espiritualista, eles bateram palmas. Billy apareceu entre a multidão e foi lá pra perto do espiritualista consolá-lo.
–Tudo bem cara, você fez o certo, ele não estava sendo ele, estava sendo um monstro.
–Obrigado Billy, eu não queria matar ele, mas a droga estava matando ele por dentro, e vi que não dava certo– disse Ewertton chorando.
–Vamos pro hospital, Lupe e os outros estão lá– disse Billy que ele e Ewertton vão em direção ao hospital.

Hospital de Rachel, 18h30min da noite

Lupe e Luclock estavam na sala de espera, quando Billy e Ewertton entraram no hospital.
–Olá pessoal, como estão os outros?– pergunta Billy.
–Gabriel esta bem, só teve ferimentos leves, mas Carol, Rafa e Maeho estão com ferimentos graves– disse Luclock.
–E tudo isso é por minha causa, não deveria ter envolvido vocês, me desculpem– disse Ewertton.
–Não precisa se desculpar, a gente só queria ajudar um amigo a derrotar um inimigo– disse Lupe.
–Nossa que frase, Lupe gostei– disse o espiritualista.
O médico chega e diz:
–Os pacientes Carol, Rafa, Maeho vão receber alta depois de amanhã, mas vocês podem visitá-los.
–Vamos eu preciso fazer uma coisa– disse Ewertton.
–O que?– perguntam Lupe,Luclock e Billy.
–Vocês vão adorar, vamos lá– disse o espiritualista.
Eles foram até a sala onde Carol, Rafa e Maeho estão, Gabriel estava sentando com o curativo no ombro, o médico sai e deixa eles sozinhos.
–Oi pessoal, eu estou bem, mas eles não.
–Eu sei Gabriel, mas eles já vão ficar curados– disse Ewertton.
–O que você vai fazer?– pergunta o alquimista.
–Observe– Ewertton se concentra e invoca outra magia de espírito e grita– KAAHI!
Uma luz azul e branca envolve os quatro, e de repente eles ficam curados, Gabriel sente que não esta mais doendo, e tira o curativo e vê que ferida cicatrizou rapidamente.
–Nossa que incrível obrigado Ewertton.
Carol, Maeho e Rafa acordam e sentem que estão curados.
–Nossa eu me sinto tão bem– disse Carol.
–Eu também, achei que eu iria morrer– disse Maeho.
–Eu também, mas como estamos totalmente curados?– pergunta Rafa.
–Foi por mim, eu usei uma magia de espírito em vocês e essa magia cura a pessoa lentamente e vocês estão totalmente curados– disse Ewertton.
–Nossa eu gostei muito dessa magia de espírito, já vi que você vai ser muito útil na nossa viagem– disse Lupe.
–É mesmo e vai servir de grande ajuda– disse Luclock.
–Eu estou chocado com o que estou vendo, já vi que esse espiritualista não tem anda de ruim– disse Billy.
–Ta vendo ae cara, ele é uma boa pessoa,e vamos dar um abraço coletivo nele– disse Rafa.
Carol, Rafa e Maeho saíram das camas, Gabriel se levantou da cadeira e junto com Lupe, Luclock e Billy deram um abraço coletivo no espiritualista e ele chora.
–Obrigado pessoal, muito obrigado.
O médico aparece e diz:
–O que esta acontecendo aqui? E como vocês três se curaram rapidamente?
Eles se olham e Carol, Rafa e Maeho falam juntos:
–Foi um milagre.
Os outros riram e o médico pediu pra eles ficarem pra fazer os exames e depois de verem que estão curados eles receberam alta, Carol, Lupe, Luclock e Ewertton foram pra estalagem; Gabriel e Rafa foram pra casa e Billy foi pra seu local de trabalho que é a ferraria.

Lupe89
Super Aprendiz
Super Aprendiz

Mensagens : 39
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 28
Localização : Recife

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

4º capítulo

Mensagem por Lupe89 em Qua Fev 02, 2011 12:58 pm

Pessoal, esta meio difícil eu ficar escrevendo fics por causa do tempo, eu aproveitei muito essas férias, e agora que vai começar as aulas na minha faculdade, vai ser meio dificíl, mas eu tentarei procurar tempo pra escrever mais capítulos, por hora, aqui esta o 4º capítulo, boa leitura.

Capítulo 4 – Reconhecendo os seus atos

03 de abril de 2010, Estalagem de Rachel, 09h00min da manhã

Depois que tomaram café, Lupe,Carol,Luclock e Ewertton conversaram sobre os acontecimentos de ontem.
–Nossa eu achei que iria usar gesso e muletas, porque foi um ferimento muito grave, o médico me disse que quebrou os ossos do braço e da perna– disse Carol.
–Iria acontecer a mesma com Rafa e Maeho, se não fosse por essa sua magia de espírito Ewertton– disse Lupe.
–É cara já vi que você vai ser bem útil na nossa jornada– disse Luclock.
–Ah pessoal que é isso, eu só queria retribuir o favor de ajudar vocês– disse Ewertton.
–Quer dizer que o Delima morreu?– pergunta o bardo.
–Eu acabei matando ele, dei chance pra ele parar de usar drogas e ele não quis, pra mim foi doloroso fazer isso, mas eu não quero que a guilda dos espiritualistas sofra– disse o espiritualista.
–Nossa, eu soube que os jovens justiceiros estão presos, mas vão fazer tratamento numa parte de reabilitação no hospital de Rachel– disse Lupe.
–É, la nesse hospital tem tudo, clinica de reabilitação para os drogados, sala pra reunião de alcoólicos anônimos, essas coisas– disse o espiritualista.
–É, mas infelizmente vemos muito isso ainda nesse mundo, pessoas bebendo, se drogando o nosso mundo esta caótico– disse Carol.
–É verdade Carol, tenham cuidado com que vão oferecer pra vocês, não aceitem essas ervas, que eu acho que devem ser as ervas dos campos de Umbala, normalmente essas ervas são usadas como remédios para as tribos de Umbala, eles misturam essas ervas com outras coisas– disse Ewertton.
–Quer dizer que essa tribo faz remédio que dopam a pessoa?– pergunta Luclock.
–Não exatamente, eles conseguem “bloquear” o efeito dessas ervas que dopam, misturando com outros ingredientes que transformam em remédio e são muito bons– responde o espiritualista.
–Nossa é bom saber disso, também li sobre isso quando estava estudando magia– disse Lupe.
–Mas tenham muito cuidado, não aceite coisas de estranhos– disse o espiritualista.
–Pode deixar cara, vamos ter cuidado– disse Luclock.
–Mas ele parecia te tratar feito um bicho, quando ele disse: “ele é perigoso, ele pode mandar uma maldição pra cima de vocês, cuidado quando vocês forem encontrar com ele”, aff– disse Carol meio revoltada.
–Infelizmente estou acostumado a isso, fazer o que, além de me tratar feito um bicho ele me chama de figura– disse o Espiritualista.
–Também esse cara é cem por cento antipático, aff– disse Luclock.
–Bem, mudando de assunto, Ewertton queria te perguntar uma coisa– disse Lupe.
–Pode falar mago– disse o espiritualista.
–Você quer viajar com a gente pelo mundo de Rune Midgard? Se aventurar pelo mundo?– pergunta o mago.
–Bem, já que vocês fizeram de tudo pra me libertar da cadeia, mas que foi o Billy que pagou tudo e me ajudaram a combater o Delima eu quero sim, afinal eu sempre tive esse desejo de conhecer o mundo de Rune Midgard– disse o espiritualista que continuou– quando eu estava preso, eu fiquei pensando em viajar pelo mundo depois que eu saísse pra conhecer as cidades e ajudar pessoas.
–Então bem vindo ao grupo cara– disse Luclock abraçando o espiritualista com um braço.
–Um brinde ao novo integrante do grupo, que agora esta livre pra viajar com a gente por toda Rune-Midgard– disse Carol levantando o copo que tinha suco de laranja e os outros até o espiritualista brindaram e beberam juntos com um gole.
–Acho que a gente deveria devolver os 22kks que acumulamos, afinal uma parte dessa grana é do Gabriel, Maeho e Rafa– disse Carol.
–Eles falaram que mais tarde viriam pra cá– disse Luclock.
–Falando neles– disse Lupe que os três entraram na estalagem e vão em direção a eles.
–Bom dia a todos– disse Gabriel acenando pros quatro.
–Bom dia– disseram os quatro ao mesmo tempo.
–E ae Ewertton como esta sendo o seu primeiro dia de herói depois dos acontecimentos de ontem?– pergunta Rafa.
–O dia mal começou e você já pergunta isso? Bem, tomara que não seja muito vergonhoso pra mim, porque eu fiz a coisa certa– disse Ewertton.
–E fez cara, olha pra primeira página do Jornal de Rune Midgard– disse Maeho mostrando o jornal pro espiritualista.
Ewertton lê o que esta escrito em destaque:

O espiritualista chamado Ewertton que foi preso por causa do justiceiro chamado Delima por ter falado uma previsão pra ele dizendo que iria morrer, acaba de matar o justiceiro porque ameaçou destruir a guilda dos espiritualistas.
E não foi só isso, ele disse pra todo mundo que o Delima era viciado em drogas o que significa um alerta pra toda a população de Rune Midgard, não comam as ervas e não aceitem nada de estranhos, vocês podem ser dar mal como aconteceu com o justiceiro que comeu a erva e induziu os jovens que queria ser igual a ele a comerem, inclusive esses jovens participaram da vingança do Delima e acabaram quase matando uma lutadora taekowndo, um caçador e um mago que graças a Deus eles estão bem.


Em nota o prefeito de Rachel manda um recado pra Ewertton:

Caro Ewertton,
Se você estiver lendo esse jornal agora, gostaria de dizer em nome de toda população de Rachel a gente pede desculpas por voce ser preso por uma acusação de um justiceiro viciado em drogas, a gente não sabia que ele era, escutei vários depoimentos dos amigos dos jovens que foram induzidos por ele e de outras pessoas que ele andava de jeito estranho.
Quero que saiba que você não foi um assassino foi um herói, salvou um monte de gente que seria induzido e também da sua Guilda dos espiritualistas, Obrigado.


A Guilda dos Espiritualistas soube do ocorrido e manda uma mensagem:


Ewertton, se você estiver lendo isso, gostaríamos de dizer que você foi um grande orgulho pra nós, esse Delima não soube o que os espiritualistas fazem, ele achou que agente é bruxo ou algo desse tipo, mas não somos, nós somos os espiritualistas que buscam equilíbrio espiritual e ajuda as pessoas com os espíritos. Ewertton, muito obrigado por nos salvar, que sem você a gente não estaria aqui,que Deus e os espíritos lhe acompanhem.

Depois que Ewertton leu a notícia falando sobre ele, desatou a chorar e disse:
–Nossa agora o povo esta pedindo desculpas pra mim, eu os perdôo por tudo.
–Ta vendo ae, o povo agora esta reconhecendo você pelos atos que você fez agora você é o herói– disse Lupe.
–Pode crer, eu gostei muito dessa notícia, você é o herói daqui de Rachel– disse Carol.
–Num é por nada não, mas na Praça de Rachel estão montando um palanque pra que você vá lá, o prefeito quer lhe homenagear– disse Gabriel.
–É verdade, aproveita esse momento Ewertton, que você esta livre– disse Maeho.
–Mas não se esqueça que a gente lhe ajudou em tudo– disse Rafa.
–É mesmo, nós também merecemos esse crédito Ewertton– disse Luclock.
–Muito obrigado pessoal pela força, se for pra falar isso lá no palanque eu falarei– disse o espiritualista chorando.
–Nós lhe acompanharemos e ficaremos na frente– disse Lupe.
–Muito obrigado mago– disse Ewertton que aperta a mão dele.

Praça de Rachel, 10h00min da manhã

Como Gabriel, Maeho e Rafa falaram, o povo construiu o palanque no meio da praça e o prefeito estava lá falando do que aconteceu, quando viu Ewertton ele disse:
–Olha minha gente, o herói chegou uma salva de palmas pra ele, Ewertton venha aqui em cima.
O povo aplaudiu, Billy tava no meio da multidão e foi ao encontro de Lupe e dos outros e parabenizou Ewertton:
–Meus parabéns cara, você merece.
Ele deu um aperto de mão e abraçou, o espiritualista ficou envergonhado e foi andando até o palanque, a cada passo as pessoas falaram coisas boas pra ele e abrindo alas para a passagem dele, quando subiu no palanque, o prefeito abraçou e disse virando pro publico no microfone:
–Em primeiro lugar, como você deve ter visto no jornal de Rune Midgard, eu repito, em nome do povo de Rachel gostaríamos de pedir desculpas, nós nos iludimos pelo Delima quando ele disse que você era perigoso, mas agora vejo que não, você é uma pessoa calma e solidária gosta de ajudar os outros, acho que foi por causa disso que você quis ser um espiritualista não é?
–Sim, foi por causa disso– disse Ewertton no microfone que continuou– e vocês estão perdoados, eu entendo, Delima foi um ídolo pra vocês, mas acontece que ele estava usando drogas, e creio que faz muito tempo que ele usa, eu tentei alertá-lo dizendo que essas drogas fariam mal a ele e ele não acreditou, por isso ele me denunciou a polícia e fiquei muito tempo preso.
O povo fez um OOOOHHH.
–Mas não se preocupem, apesar da minha estadia na prisão não ser boa, porque fui torturado pelos presos e tal, aconteceu uma coisa boa, Deus enviou aquelas cinco pessoas ali para me fazerem companhia e gostei muito deles– disse o espiritualista apontando pra onde Lupe e os outros estão.
–Pois então venham pra cá, e uma salva de palmas pra eles– disse o prefeito que depois o povo bateu palmas pra Carol, Lupe, Luclock, Gabriel, Rafa, Maeho e Billy que foram andando em direção ao palanque e subiram.
–Bem, conheci o Lupe, Carol, Luclock, Gabriel e Rafa na prisão e eles também sofreram muito e eles eram legais, brincávamos muito e conversamos muito– disse Ewertton que depois foi interrompido por Luclock.
–E cantamos muito, também não é?
Todos riram depois o espiritualista continuou.
–Graças a eles, eu mudei o meu jeito de ser, sou um cara mais falante, gente fina, mas eu continuo tendo essa vontade de ajudar as pessoas, eu devo muito a vocês cinco– disse Ewertton.
Todos bateram palmas
–E esses dois?– pergunta o prefeito se referindo a Maeho e a Billy.
–O Maeho é muito amigo de Rafa e Gabriel, eu gostei muito dele, e o Billy foi meio difícil de se conversar com ele e graças ao Lupe, a Carol e o Luclock que convenceram muito por causa dos problemas que ele teve com o pai ele agora mudou o jeito de ser, obrigado por ser meu amigo Billy– disse o espitiualista.
Billy pega o microfone e diz:
–Eu é que agradeço.
Todos batem palmas e o prefeito diz:
–Bem já que você contou um pouco da sua história eu gostaria de lhe dar uma coisa.
–O que?–pergunta Ewertton.
–Eu quero lhe dar uma medalha e um certificado de cidadão honorário de Rachel,aceite isso como um pedido de desculpas.
Todos gritaram e bateram palmas, um dos ajudantes passou a medalha e o certificado pro prefeito que passa pra Ewertton e ele se emociona.
Todos gritam: ELE MERECE!
Depois o povo parou pra escutar o discurso de Ewertton que fala emocionado.
–Pessoal muito obrigado por tudo, eu aceitarei isso como um pedido de desculpas sim, muito obrigado.
Carol e os outros também choraram ao ver um grande amigo que sofreu muito receber um reconhecimento pelos seus atos. Ewertton se acalmou e disse:
–Eu gostaria de tocar uma canção em homenagem aos meus amigos que estão aqui presentes no palanque e Luclock pegue o seu violão.
Luclock pegou o violão, Ewertton tirou a capsula, pediu pra que o pessoal do palanque se afastasse, apertou e jogou a capsula que explode e aparece o piano.
–Todos vocês aí de baixo também irão gostar dessa canção.
Tem início mais um Momento Musical.

MOMENTO MUSICAL
Música: Amigos Para Sempre
Quem Canta: Ewertton,Carol, Luclock, Lupe, Maeho,Billy e Rafa


Ewertton e Luclock começam e tocar os instrumentos e Ewertton canta:

Eu não tenho nada pra dizer
você parece no momento até saber como eu estou
sofrendo
Vem veja através dos olhos meus a emoção que sinto
em estar aqui
Sentir seu coração me amando


Carol, Lupe, Gabriel, Rafa e Billy pegam os microfones e cantam o refrão junto com Ewertton e Luclock:

Amigos para sempre é o que nós iremos ser
Na primavera ou em qualquer das estações
Nas horas tristes nos momentos de prazer
amigos para sempre(bis)


Ewertton volta a cantar:

Vocês podem estar longe, muito longe sim
Mas por te amar sinto vocês perto de mim, e o meu coração contente
Não nos perderemos não os esquecerei vocês são meus amigos, tudo que eu sonhei
E quis para mim um dia.


Todos voltam a cantar o refrão e começam a chorar:

Amigos para sempre é o que nós iremos ser
Na primavera ou em qualquer das estações
Nas horas tristes nos momentos de prazer
amigos para sempre(bis)


Ewertton e Luclock tocam a parte instrumental fazendo todos chorarem, mas quando ele ia cantar a última parte, Luclock de uma batidinha no ombro dele usando o seu ombro, porque estava com o violão tocando e disse:

–Essa parte agora é nossa cantando pra você.

Ewertton fica sem entender e Carol, Lupe, Gabriel, Rafa e Billy junto com Luclock cantam a última parte:

Não nos perderemos não te esquecerei você é minha vida, tudo que eu sonhei
E quis para mim um dia.


Ewertton chora, Luclock ficou tocando pra dar tempo pra ele se recuperar, mas todos aplaudem e Ewerrton volta a cantar junto com todos o refrão:

Amigos para sempre é o que nós iremos ser
Na primavera ou em qualquer das estações
Nas horas tristes nos momentos de prazer
amigos para sempre(bis)


Todos aplaudem chorando inclusive eles que cantaram a canção.

FIM DO MOMENTO MUSICAL

Quando acabou a música e os aplausos, o prefeito diz:

–Nossa eu fiquei, quer dizer... Nós ficamos emocionados com essa música que vocês tocaram é muito bom, palmas pra eles.

Todos bateram palmas.

–Eu gostaria de dar mais uma coisa pra você, uma casa pra você ficar, não é grande, mas já esta toda mobiliada e decorada, se não gostar da decoração é só falar comigo que meus agentes irão providenciar tudo ao seu gosto– disse o prefeito.

–Muito obrigado, mas agora eu não vou poder aproveitar essa minha nova casa– disse o espiritualista.

–Mas porque não?

–Porque eu prometi que iria viajar com os meus amigos pelo mundo quero conhecer o mundo onde eu vivo, quero conhecer e ajudar pessoas, matar monstros, tudo– responde Ewertton.

–Ah entendo, mas sempre que quiser, quando você voltar eu lhe darei a chave e o endereço do seu novo lar.

–Muito obrigado, eu voltarei com certeza.

Rafa diz no microfone:

–Todos juntos comigo: EWERTTON É UM BOM COMPANHEIRO, EWERTTON É UM BOM COMPANHEIRO, EWERTTON É UM BOM COMPANHEIRO, NINGUÉM PODE NEGAR!

Todos cantaram juntos e os seis que estavam no palanque abraçaram e Billy levantou Ewertton botando nas costas (o tradicional tuntun) e ele grita e acena pro povo e todos batem palmas.


Lupe89
Super Aprendiz
Super Aprendiz

Mensagens : 39
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 28
Localização : Recife

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

5º capítulo

Mensagem por Lupe89 em Sab Abr 16, 2011 2:14 pm

Pessoal, eu sei que vcs estão gostando muito da minha fic e querem acompanhar a vida dos meus personagens, mas eu sou humano igual a vcs todos temos problemas e assuntos a resolver, espero que vc entendam, eu faço faculdade e dois cursos e tah meio difícil, mas hoje encontrei tempo de fazer o 5º capítulo, e estou postando aqui, boa leitura.



Capítulo 5- Decidimos ir embora


03 de abril de 2010, Estalagem de Rachel, 12h 30min da tarde


Depois de almoçarem, Carol, Ewertton, Lupe e Luclock, conversam.

–Nossa que homenagem é essa que eu tive agora há pouco, estou muito honrado por tudo– disse o espiritualista.

–Ta vendo, isso te fez ajudar a esquecer o pessimismo que você tinha com esse povo, eles fizeram tudo aquilo não só porque você matou um ator viciado, eles também fizeram isso como uma forma de lhe pedir perdão por tudo que eles fizeram com você– disse Carol.

–É verdade, concordo com a minha namorada, agora você já é um espiritualista livre Ewertton– disse Lupe.

–Eu sou livre?Sim, eu sou livre, EU SOU LIVREEEEEE– disse Ewertton que gritou e ficou de pé, ele ficou tão empolgado que o pessoal da estalagem olhou pra ele.

–Ewertton calma, a gente esta numa estalagem– disse Luclock.

–Me desculpem, precisava falar isso, estava querendo sair da minha boca– disse o espiritualista que depois ele junto com os três riram.

–Aiai, você é uma figura Ewertton– disse Luclock que depois deu umas batidas nas costas dele.

–Mas e agora, onde vocês querem ir, já que eu vou com vocês nessa jornada, quero conhecer o mundo de Rune-Midgard– disse Ewertton.

–Bem, já passou um ano que a gente ficou preso, e acho que os nossos amigos estão esperando por nós– disse Lupe.

–É mesmo, acho que a maioria dos nossos amigos está em Prontera, lembro que Dudu e Pricea falaram que gostariam de ter uma casa lá, acho que nesse tempo deve ter conseguido– disse Carol.

–Mas outras como o Kain, esta em outro local, ele deve estar com a namorada dele a Saria, porque ele vivia falando dela, e também sinto saudades do meu grande amigo Tmolo, ele deve ter se tornado um grande monge– disse Luclock.

–Eu sinto saudades de Dudu,Pricea, Lila e Fábio, mas eu sinto mais saudades é de Lily e Tom, acho que eles se casaram– disse Lupe.

–Falando em casamento eu acho que Dudu e Pricea deve ter se casado, mas pena que nós somos os padrinhos de Dudu– disse Carol.

–Mas eles falaram, que não vão se casa até que nós estejamos de bem com os outros, depois daquela tragédia que eu fiz em Morroc– disse o mago.

–É verdade, eu lembro, mas acho que agora depois de um ano, eles vão se reconciliar com a gente– disse o bardo.

–Eu concordo, acho o tempo que vocês ficaram, deve ter esfriado a cabeça deles e acho que esta na hora de reconciliarem– disse Ewertton.

–Nossa, você entendeu muito bem, estou impressionado– disse Luclock.

–Você se esqueceu que estou vendo pela alma de vocês o passado de vocês?– pergunta o espiritualista fazendo uma cara risonha.

–Ah, eu esqueci– responde o bardo fazendo cara de sem graça.
Minutos depois Billy, Rafa, Gabriel e Maeho entraram na estalagem e foram até a mesa onde os outros estão.

–Boa tarde pessoal– disse Billy.

–Boa tarde– disseram Carol, Ewertton, Luclock e Lupe em coro.

–Soube que vocês estão pensando em ir embora, é verdade?–pergunta Rafa.

–Sim, é verdade, mas quem foi que te contou?–perguntou Luclock.

–Bem, eu já sabia que depois que a gente saísse da prisão vocês iriam voltar pra encontrar os seus amigos– disse Gabriel.

–Eu também estava pensando nisso– disse Maeho.

–Pois é pessoal, a gente adoraria ficar mais tempo aqui, mas precisamos ir embora, temos uma grande aventura pela frente– disse Carol.

–Eu queria muito ir com vocês, mas eu, Rafa e Gabriel vamos nos aventurar em Veins– disse Maeho.

–Vocês já disseram isso, até na prisão o Rafa e Gabriel falaram, mas a gente respeita a decisão de vocês– disse Lupe.

–Mas quem sabe um dia a gente não se encontra de novo?–pergunta Rafa.

–É quem sabe, se estiver escrito em nosso destino– responde Lupe.

–E você Billy, vai ficar aqui o quer ir com a gente?–pergunta Ewertton.

–Bem, eu vou ficar, preciso manter a minha refinaria em pé, tenho que orientar os estagiários, a vender, fabricar e melhorar armas, alguns deles estão se saindo bem– disse o ferreiro.

–Nossa que bom, acho que talvez a gente encontre a sua irmã lá– disse Lupe.

–Eu queria muito ir com vocês até pra ver a minha irmã, mas eu preciso trabalhar, tenho clientes esperando por mim e, aliás, eu preciso ir, só vim com eles pra saber se vocês estão bem– disse o ferreiro.

–Estamos bem obrigado e bom trabalho– disse Lupe.

–Vai lá cara, bom trabalho– disse Luclock.

–Bom trabalho ferreiro– disse Ewertton.

–Bom trabalho Billy– disse Carol.

–Depois vamos pra lá pra saber como estão as nossas armas– disse Rafa.

–É verdade, depois eu, Rafa e Maeho vamos lá ver– disse Gabriel.

–Tomara que meu cajado esteja bem aprimorado– disse Maeho.

–Eu acredito que estejam prontos pra jornada de vocês em Veins, já que lá tem muitos monstros do tipo fogo, mas se não tiver eu vou dar uma acelerada, vou indo, se cuidem– disse Billy que saiu da estalagem e foi pra sua refinaria.

–Eu digo que ele vai com a gente– disse Lupe.

–Eu também– disse Ewertton.

–Vocês com esse sexto sentido, num sei não, viu?– disse Luclock desconfiado.

–Ah e lembrei a gente que devolver o dinheiro de vocês, já que o Billy pagou a fiança pra Ewertton sair, queríamos devolver já que não vai ser, mas necessário– disse Carol.

–Eu sabia que vocês iriam tocar nesse assunto e nós decidimos que a grana vai ficar com vocês– disse Gabriel.

–O que?– disseram Carol, Luclock e Lupe ao mesmo tempo.

–Sim e pode dividir essa grana unto com o espiritualista já que vocês vão viajar pelo mundo– disse Rafa.

–Não obrigado, não precisa– disse Ewertton.

–Precisa sim Ewertton, você vai viajar com eles e vai precisar de grana pra se sustentar– disse Maeho.

–Então vamos dividir entre nós 4– disse Lupe.

–Estou com a calculadora aqui– disse Maeho que deu a calculadora pra Lupe.

Lupe digitou a quantia que é 22kk e depois dividiu por 4 e deu o resultado.

–Da 5,5kk para nós 4.

–Que bom, obrigado por deixar a gente ficar com a grana– disse Luclock.

–Eu acho justo, vocês fizeram muita coisa por nós, agora fizemos uma coisa pra vocês– disse Gabriel.

–Vocês foram muito gentis com a gente, pagaram até a nossa estadia nessa estalagem– disse Carol.

–Olha, foi muito bom os momentos lá nos campos de Rachel, na prisão e aqui na cidade matando o Delima, eu não vou esquecer nunca esses dias– disse Rafa.

–Eu queria muito ficar, mas decidimos ir embora, prometo que a gente vai voltar aqui pra visitar vocês– disse Carol.

–E eu vou conhecer minha nova moradia, graças a esse povo de Rachel– disse Ewertton.

–Então vamos lá pro aeroporto de Rachel comprar as passagens?– pergunta Gabriel.

–Só se for agora– disse Luclock.


E todos foram em direção ao aeroporto de Rachel.


Aeroporto de Rachel, 14h e 10min da tarde


O aeroporto de Rachel ficava fora da cidade, eles atravessaram o campo de Rachel e chegaram lá,quando chegaram a fila não estava muito grande só tinha sete pessoas na frente deles.

–E eu pensava que fosse lotado a essa hora– disse Maeho.

–Sorte nossa, dá tempo de comprar as passagens– disse Luclock.

–Não vejo à hora de chegar em Prontera, pra reencontrarmos nossos amigos não é amor?– disse Carol que beija Lupe na boca.

–Sim querida não vejamos a hora de vê-los– disse Lupe.

–Já esta diminuindo a fila, veja lá qual será o dia e o horário pra vocês irem pra Izulde– disse Gabriel.

–OK– disseram Carol,Ewertton,Luclock e Lupe ao mesmo tempo.

Minutos depois eles compraram as passagens e quando saíram da fila, Gabriel, Maeho e Rafa vieram falar com eles.

–E aí quando é que vai ser?–pergunta Rafa.

–Vai ser amanhã dia 4 de abril às 16h– responde Ewertton.

–Que bom, vocês vão ficar mais um dia aqui– disse Maeho.

–É mesmo, já que compramos as nossas passagens pra amanhã, vamos aproveitar o resto do dia e amanhã em Rachel– disse Lupe.

–Boa idéia amor, vamos aproveitar bem cada minuto aqui– disse Carol.

–Pessoal eu preciso falar uma coisa pra vocês– disse Ewertton.

–O que?– perguntaram os seis ao mesmo tempo.

–Vamos lá pra fora que eu vou contar tudo– disse o espiritualista–Mas você pode adiantar alguma coisa?– pergunta Gabriel.

–É algo de interesse pra Carol, Luclock e Lupe– responde o espiritualista.

–Do nosso interesse?– pergunta Lupe.

–La fora eu conto– disse Ewertton.

Depois eles ficaram calados e foram em direção a saída do aeroporto.


Lupe89
Super Aprendiz
Super Aprendiz

Mensagens : 39
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 28
Localização : Recife

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

6º capítulo

Mensagem por Lupe89 em Dom Abr 17, 2011 12:00 am

Agora tou no pic de escrever, aqui esta o 6º capítulo, vou ver amanhã (17/04) terei vontade de escrever o 7º.

Capítulo 6 – Uma revelação bombástica

Campos de Rachel,03 de abril de 2010, 15h00min da tarde

Quando saíram do aeroporto, eles ficaram um pouco distantes do aeroporto e Ewertton disse:

–Aqui está bom.

–O que você quer dizer sobre assunto do nosso interesse?– pergunta Carol.

–Esperem– disse Ewertton que começou a gemer, fechar os olhos e se ajoelhar, como se estivesse com dor.

–O que esta acontecendo com ele?– pergunta Maeho.

–Ele esta gemendo, não sei porque– responde Luclock.

–Ele esta sentido dor, mas ele não tem dor nenhuma– disse Gabriel.

De repente ele abre os olhos, os olhos deles ficam azuis claros e depois olha pros outros.

–Que olhar é esse? Esta me assustando– disse Carol assustada que fica atrás de Lupe.

–Ele deve esta tendo uma visão– responde Lupe.

–Nossa, sinistro isso– disse Rafa.

Depois Ewertton volta a si.

–Você esta bem Ewertton?– pergunta Lupe.

–Sim, eu estava vendo suas almas algumas imagens,me desculpe se eu assustei vocês– responde Ewertton.

–Mas é a primeira vez que vejo isso, na prisão você falava que estava vendo nossas almas e você não ficava com esse olhar estranho– disse Carol.

–É que eu ainda não consegui ter o controle, total, às vezes acontece de repente, me desculpem– disse o espiritualista.

–Ta tudo bem cara, mas me diga o que você viu pelas nossas almas– disse Gabriel.

–Eu estava vendo as cenas de vocês no julgamento– disse o espiritualista.

–E o que você descobriu?– perguntou Rafa.

–Pela alma de Maeho, ele focalizou aqueles dois que estavam acusando vocês– disse Ewertton.

–Isso mesmo eu ficava só olhando pra eles, eles pareciam estranhos ficavam cochichando o tempo todo,até pra Marlos eles cochichavam– disse Maeho.

–Caramba, eles ficavam fazendo isso e eu nem percebi– disse Luclock.

–Carol e Lupe, peguem um daqueles galhos de árvore– disse Ewertton apontando para a árvore que só tinha galhos, afinal o campo de Rachel é quase um deserto, eles arrancaram os galhos.

–O que você vai fazer com esses galhos?–pergunta Carol.

–Eu não vou fazer nada, eu digo e vocês fazem, não é magia nem nada– disse o espiritualista.

–O que é exatamente você quer que a gente faça?–pergunta Lupe.

–Quero que vocês escrevam na terra usando estes galhos o nome daquelas duas pessoas que estavam na mesa de acusações junto com Marlos e seu
advogado, você Carol escreva o nome da mulher e você Lupe escreva o nome do homem– disse Ewertton.

–Pra que isso?–pergunta Luclock.

–Isso vai ser uma revelação bombástica pra você, pra Carol e pro Lupe– disse o espiritualista para o bardo.

–Pra que vocês vão fazer isso?–pergunta Maeho.

–Vocês apenas observem– disse ewertton pra Gabriel, Maeho e Rafa , depois ele vira pra Carol e Lupe– podem começar.

–Se eu não me engano o nome da advogada é Atina– disse Carol que escreve o nome dela na areia usando a ponta do galho.

–E o da testemunha se chama Noirua– disse Lupe que escreve o nome dele na areia usando a ponta do galho perto de onde Carol escreveu.

–Ótimo– disse Ewertton que os quatro (Gabriel, Maeho, Rafa e Luclock) se aproximava pra olhar, e o espiritualista ficou no meio de Carol e Lupe , colocou as suas mãos nos ombros deles e diz– agora um pouco mais abaixo dos nomes escrevam esse nomes ao contrário.

–Ao contrário?–pergunta Carol.

–Sim façam isso, aí sim vocês irão saber de tudo– disse Ewertton que deu umas batidinhas nos ombros deles e depois tirou suas mãos e se afastou um pouco deles.

Carol e Lupe se olharam com cara de dúvida e escreveram os nomes ao contrário, quando terminaram eles se espantaram.

–ANITA– disse Carol olhando pro nome que acabou de escrever.

–AURION– disse Lupe olhando pro nome que acabou de escrever.

Ao mesmo tempo Carol e Lupe se lembravam deles e se olharam e falaram ao mesmo tempo.

–Não pode ser.

–Infelizmente, essa é a revelação bombástica de que eu estava falando–disse Ewertton.

–E que revelação até eu fiquei assustado– disse Luclock.

–Quem são esses dois? São os nomes verdadeiros daqueles dois?– pergunta Maeho.

–Eu sei quem são eles, eu lembro que vocês junto com os outros se desentenderam com Richard e sua turma– disse Luclock.

–Você estava lá não é?– perguntou Carol.

–Claro que sim, Kain num disse pra vocês que a gente era do mesmo quarto?– disse Luclock.

–Ah é mesmo esqueci– disse ela sem graça.

–Mas depois que vocês foram fazer o teste final, eles juraram vingança, se preparem– disse o bardo.

–Então quer dizer que eles estavam lá pra nos acusar e pra que a gente fique mais anos na cadeia?– pergunta Lupe.

–Sim é isso mesmo Lupe, queriam que vocês ficassem muito tempo na prisão– disse Ewertton.

–Mas eles queriam incriminar a gente também, inventaram mentiras a nosso respeito– disse Gabriel.

–É verdade, que caras de pau eles são, nem conhecem a gente– disse Rafa.

–Dudu e os outros precisam saber disso, vamos falar com eles assim que a gente chegar lá em Prontera– disse Carol.

–Bem, isso vocês irão resolver isso depois, mas vamos aproveitar esse dia pra gente se divertir na cidade tem um parque lá que será aberto ao anoitecer, e você Ewertton aproveita pra conhecer a sua nova casa– disse Maeho.

–Então vamos lá– disse Ewertton.

Todos foram pra cidade se divertir, amanhã vai ter fortes emoções.

Lupe89
Super Aprendiz
Super Aprendiz

Mensagens : 39
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 28
Localização : Recife

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

7º capítulo

Mensagem por Lupe89 em Dom Abr 24, 2011 10:49 pm

Hoje sobrou tempo de escrever e postar mais um capítulo, boa leitura.

Capítulo 7 – Uma despedida, uma surpresa

Praça de Rachel, 04 de abril de 2010, 10h00min

Depois de tomarem café na estalagem, eles foram para praça pra sentar nos bancos e conversarem.
–Ai ai,chegou o dia que a gente vai deixar essa cidade– disse Luclock.
–Ah Luclock me poupe, também não é o fim do mundo, quem sabe um dia a gente não vem pra cá de novo,aí a gente fica na casa de Ewertton, não é?– disse Carol.
–Sim, vocês serão bem vindos na minha casa e aliás eu fui ver a minha casa, esta bonita e decorada e tem até espaço pra eu fazer minhas atividades espirituais– disse Ewertton.
–A gente nem foi conhecer a sua casa Ewertton, não podemos sair daqui sem conhecer a sua casa, o que acha Lupe?– disse Carol que alisa o ombro de Lupe.
–É uma boa idéia, pena que ontem não podemos ir porque nos divertimos bastante na cidade, e se esquecemos disso– disse Lupe.
–Eu só me diverti um pouco na cidade, e aproveitei pra decorar a minha casa, já que o prefeito daqui me deu como recompensa de matar aquele assassino o Delima, e foi eu junto com os funcionários que trabalham pra ele e o prefeito disse que não precisava agradecê-lo, foi uma forma de retribuir mais ainda – disse Ewertton.
–Então vamos lá conhecer a sua casa– disse Luclock.
–Ok sigam-me– disse o espiritualista que ele e os outros foram para a sua casa.

Refinaria do Billy, 11h00min da manhã.

Enquanto isso, Gabriel foi à refinaria do Billy.
–Bom dia.
–Bom dia Gabriel, o Billy esta ocupado e ele me mandou aqui pra atender os clientes– disse Marc um dos funcionários.
–Pelo jeito você esta trabalhando bem– disse Gabriel elogiando.
–Ah muito obrigado, eu tento sabe, é muito suor sabe?– disse Marc.
–Entendo, eu também suo muito quando eu faço as minhas poções– disse o alquimista.
–Entendi, mas e aí veio pegar o seu machado?– pergunta o ferreiro.
–Sim, já esta pronto?
–Vou ver com o Billy, espere aqui.
–Aproveita e chame ele, quero falar com ele uma coisa– disse Gabriel.
–Ok.
–Tenha um bom trabalho.
–Valeu cara– disse Marc fazendo o sinal com o polegar.
Minutos depois Billy chega trazendo o machado de Gabriel todo refinado.
–Esta aqui o seu machado– disse Billy entregando a Gabriel.
–Nossa esta perfeito esse machado, muito obrigado.
–De nada, esse é o nosso trabalho é o machado glacial, é perfeito para vocês se aventurarem em Veins– disse Billy.
–Poxa que legal, valeu mesmo.
–Mas e aí o que você queria falar comigo.
–Bem, não é novidade, Lupe e os outros vão embora hoje, eles vão pegar o aeroplano as 16h da tarde– disse Gabriel.
–Ah ta, eu vou me despedir deles.
–Eu pensei que você iria também, afinal eles viram a sua irmã lá em Prontera.
–Olha, eu queria ir muito, mas estou cheio de trabalho aqui e tenho que treinar mais os meus funcionários, quando eu tirar férias eu vou pra Prontera por conta própria– disse Billy.
–Ta bom ok, não esta mais aqui quem falou, te vejo mais tarde– disse Gabriel.
–Ok, tenha um bom dia– disse Billy.
Depois que Gabriel saiu o ferreiro ficou pensativo e pensou:
“Se eu for com eles, talvez eu encontre a minha irmã e o desgraçado do meu pai, preciso tirar essa história a limpo.”

Casa de Ewertton, 12h30min da tarde

Na casa de Ewertton, ele, Carol, Lupe e Luclock almoçam, eles compraram comida e bebida no restaurante perto da casa deles.
–Eu nunca vou me esquecer das comidas daqui de Rachel, são gostosas– disse Luclock.
–Eu também gostei muito das comidas daqui, não vou esquecer– disse Lupe.
–E eu também e, aliás, eu gostei muito dessa sua nova casa Ewertton– disse Carol.
–Muito obrigado e vocês serão bem vindos, quando eu tiver aqui, já que eu vou viajar com vocês– disse Ewertton.
–Você vai gostar dos nossos amigos, Dudu, Pricea, Tom e Lily são muito legais, e vão entender o seu problema– disse Lupe.
–É verdade e eles ajudam muito, eles gostam de ajudar as pessoas– disse Carol.
–Têm outros que não vão acreditar, mas deixa isso com agente– disse Luclock.
–Valeu Luclock acabasse com tudo, aff, olha Ewertton não se preocupe com eles, eles vão demorar um pouco pra se acostumar com você, mas eles vão entender– disse Carol.
–Eu sei, eu confio em vocês– disse Ewertton.
Minutos depois eles acabaram de almoçar e Lupe disse:
–Bem a comida foi boa, o papo estava bom, mas temos que voltar pra estalagem pra arrumar as nossas coisas, pois o tempo passa rápido.
–É verdade passa voando– disse Luclock.

Aeroporto de Rachel, 15h00min da tarde.

Carol, Lupe, Ewertton e Luclock estavam esperando dar 15 horas e 50 minutos para poder embarcar.Gabriel, Maeho e Rafa vieram correndo se despedir do pessoal.
–Ah, chegamos a tempo– arfou Rafa.
–Ainda falta meia hora, descansem ae nos bancos– disse Luclock.
–Pelo visto vieram se despedir da gente, pra que essas sacolas?– pergunta Lupe.
–São presentes pra vocês– disse Gabriel que tirou quatro sacolas médias contendo uma caixa com poções de várias cores.
–Nossa muito obrigada Gabriel, isso vai nos ajudar muito– disse Carol recebendo as sacolas de poções.
–Eu trouxe carnes de Vento da Colina,Roween e Galion pra vocês quando se sentirem– disse Rafa que trouxe as sacolas com carne.
–Eu gostei muito dessas suas carnes, todas assadinhas e misturadas com aquele molho quando a gente estava exilado e dormindo ao relento, hum, aliás, eu amei essas carnes, muito obrigado– disse Luclock pegando as sacolas de carne.
–Que bom que você gostou cara, valeu– disse Rafa dando umas palmadinhas no ombro de Luclock.
–Eu trouxe pergaminhos mágicos de benção e de aumentar agilidade pra vocês– disse Maeho com 8 caixas, 4 caixas contendo 20 pergaminhos de benção e as outras 4 contendo 20 pergaminhos de aumentar agilidade e entregou pra Lupe e pra Ewertton, já que Carol e Luclock estavam com as mãos ocupadas.
–Vai ser muito útil se não estivéssemos com sacerdotes– disse Lupe.
–É eu concordo, eu já usei isso, mas são muito caras essas caixas de pergaminhos– disse Ewertton.
–Bem, eu quero dizer que foi muito bom estar com vocês, foi um prazer enorme conhecer vocês, nós divertimos muito– disse Gabriel.
–Ah obrigada, não chora não, a gente vai se ver algum dia– disse Carol dando um abraço de consolo.
–É que a gente se divertiu muito com vocês, desde do exílio la no deserto de Rachel, depois salvando o Maeho nas cavernas de gelo, na prisão e na cidade de Rachel matando o Delima, foi bom demais– disse Rafa aos prantos.
–Tenha calma cara, dá um abraço aqui– disse Luclock que o caçador abraçou o bardo chorando.
–Eu quero agradecer mais uma vez a vocês por ajudarem Gabriel e Rafa a me salvar na caverna de gelo, foi Deus que colocou vocês aqui, muito obrigado– disse Maeho chorando.
–Não foi nada Maeho, a gente só queria ajudar um grande amigo– disse Lupe que deu um abraço de consolo ao mago.
Ewertton ficou olhando o pessoal se abraçar e viu pelas almas deles as aventuras que eles passaram, desde do exílio nos desertos de Rachel até hoje e ele ficou pensando:
“Mesmo eles passando por vários momentos difíceis eles ainda tem esse laço de amizade firme e forte, e eu estou orgulhoso de fazer parte desse laço”
Depois desse pensamento o espiritualista queria chorar, mas viu que os outros olharam pra ele e Gabriel disse:
–Claro que a gente não pode esquecer de você Ewertton, você nos trouxe alegria pra gente enquanto estivemos presos e pra você aqui vai um abraço triplo, vamos lá caras.
Ele, Maeho e Rafa deram um abraço juntos em Ewertton que ele começa a chorar junto com eles. Carol, Lupe e Luclock olhavam emocionados.
–Isso é que é ter amizade verdadeira, e Ewertton esta aproveitando isso muito bem– disse Lupe.
–Que bom né amor– disse Carol que beija Lupe na boca.
–Tou gostando muito de ver, é legal demais– disse Luclock.
–Pena que esse momento seja raro, apesar do mundo em que vivemos um mundo politicamente correto, onde várias pessoas querer derrubar outras pra se darem bem na vida, alguns tem preconceitos e tal, muito ruim isso– disse Lupe.
–É verdade amor, esse mundo esta piorando ninguém entende os sentimentos das pessoas, só querem prejudicar elas, muito horrível isso, mas ainda bem que existem momentos que nem esse de amizades verdadeiras, tratarem as pessoas com respeito– disse Carol.
–Eu concordo, apesar de não entender muita coisa do que vocês falam, eu sei que é difícil ter pessoas legais– disse Luclock.
–É verdade– disse Gabriel que Carol, Lupe e Luclock se assustaram pois nem perceberam que ele e os outros estavam escutando a conversa deles.
–O mundo esta ruim em relação das amizades– disse Ewertton.
Depois que se despediram, eles escutaram uma voz conhecida.
–Esperem por mim.
Billy chegou correndo com o seu carrinho e algumas mercadorias.
–Olá Billy, veio se despedir deles? Se for aproveita porque daqui a pouco vão chamar o vôo deles e precisam partir– disse Rafa.
–Não, eu decidi viajar com eles– responde Billy.
–O que você vai viajar com eles?–pergunta Gabriel.
–Bem que o meu sexto sentido avisou que você iria viajar com a gente– disse Ewertton.
–O meu também, e pra mim não foi surpresa nenhuma– disse Lupe.
–Pra mim esta sendo, agora vou começar a acreditar nesses seus sexto sentidos– disse Luclock.
–Mas porque você quer viajar com gente?– perguntou Carol.
–Eu pensei muito a respeito do que Ewertton e Lupe me falaram, e é verdade, eu vou com vocês não só pra encontrar a minha irmã, mas também quero encontrar o desgraçado do meu pai, quero acertar as contas com ele– respondeu Billy.
–Tudo bem, então bem vindo ao clube– disse Lupe estendendo a mão e Billy aperta.
–Eu pedi pra um funcionário meu comprar a passagem pelo meu nome e consegui a tempo– disse Billy.
–Mas e sua ferraria Billy? Quem vai tomar conta?–pergunta Maeho.
–Um dos meus funcionários o Marc vai cuidar de tudo, ele é muito experiente e aprendeu tudo comigo, e se caso acontecer alguma coisa comigo, ele será o chefe– disse Billy.
–Aff, deixa de ser pessimista Billy– disse Gabriel.
De repente, a voz de uma mulher ecoa nas caixas de som que existe no aeroporto:
–Atenção passageiros com vôo de destino para Izulde as 16h, compareçam a área de embarque, e tenham a passagem em mãos pra verificarmos pra vocês viajarem com segurança, muito obrigada e tenham uma boa viagem.
Depois que ela disse isso, Billy foi abraçar Gabriel, Maeho e Rafa, eles choraram.
–Bem esta na hora de irmos, muito obrigado por tudo– disse Luclock que vai pra área de embarque levando as coisas dele.
–Foi um prazer enorme conhecer vocês, em breve estarei de volta– disse Ewertton que vai indo atrás de Luclock levando as coisas.
–Eu me diverti muito com vocês muito obrigada– disse Carol.
–Obrigado por tudo pessoal, espero que a gente possa ser ver algum dia– disse Lupe que ele e Carol foram juntos pra área de embarque levando as coisas.
–Eu tenho que ir, diz pro Marc tomar conta de tudo, até eu voltar– disse Billy que foi correndo pra área de embarque.
Gabriel, Maeho e Rafa olharam pra eles que estavam subindo pra área de embarque, quando estavam perto do aeroplano os três gritaram:
–TCHAU BILLY, TCHAU LUPE, TCHAU CAROL, TCHAU EWERTTON, TCHAU LUCLOCK, OBRIGADO POR TUDO.
Os cinco olharam pra eles lá de cima e acenaram. Depois eles mostraram a passagem pro comissário que verificou e disse:
–Esta tudo ok, tenham uma boa viagem.
–Obrigado– disseram os cinco.
E assim eles entraram no aeroplano e o aeroplano levantou vôo e foi indo pro céu e pegando o rumo para Izulde.

Lupe89
Super Aprendiz
Super Aprendiz

Mensagens : 39
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 28
Localização : Recife

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Comunicado e uma curiosidade no 8º capítulo

Mensagem por Lupe89 em Dom Jun 12, 2011 12:03 am

Pessoal, infelizmente por causa da faculdade esta difícil de eu ter que escrever e postar capítulos, mas eu digo e repito, sempre que puder eu posto, precisam tem paciencia, sou ser humano que nem vcs, mas quando eu tiver de férias eu vou começar a escrever o 8º capítulo.

Mas pra deixar vcs com curiosidade, nesse 8º capítulo vai ter a participação de uma personagem do anime, o motivo é que vi outras fics baseadas no anime e que não colocaram TODOS os personagens do anime, principalmente essa personagem, 3 dicas:

1º- É uma mulher
2º- Ela gostava de ser chamada pelo nome no diminutivo
3º- Ela tem um poring

Acho que vcs ja sabem de quem eu estou falando, mas eu ja planejei a participação dela nesta temporada e tem outra, mas não vou dizer quem, só sei que essas duas vão ajudar muito os meus personagens principalmente o Lupe.

Lupe89
Super Aprendiz
Super Aprendiz

Mensagens : 39
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 28
Localização : Recife

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

8º Capítulo

Mensagem por Lupe89 em Qua Jul 06, 2011 2:50 pm

Ae pessoal ja estou de férias, vou aproveitar pra ver se consigo escrever e postar os capítulos enquanto eu estou de férias, e aqui vai o 8º capítulo.

Capítulo 8 –A história de uma grande criadora

Aeroplano, 18h30min da noite

A noite começa a surgir e o grupo estava no convés do aeroplano e eles ficam admirados com o céu estrelado.
–Como é bonita essa noite estrelada e essa brisa tão boa que estou sentido– disse Carol.
–É realmente fabuloso, já tive muitos sonhos com isso, agora esta se tornando realidade– disse Ewertton.
–Nossa que bom e– Luclock olha pra baixo e vê as montanhas e as nuvens que passam por algumas delas– é bom ver o mundo daqui de cima até parece que estamos voando.
–E estamos voando sob o céu, mas só que no aeroplano, até eu queria voar– disse Ewertton rindo que os outros riram com ele.
–Mas pena que é por pouco tempo, se fosse assim queria ficar no aeroplano pelo resto da vida, só viajando sem pagar nada– disse Carol.
–Também queria poder voar– disse Lupe.
–Porque amor?–pergunta Carol alisando-o.
–Porque eu queria ser uma águia, que voaria pra cada lugar, seria livre– responde o mago.
–E quem num queria ser um pássaro para poder voar, eu também queria– diz Luclock rindo.
–Billy, você está tão calado se enturma com a gente– disse Carol olhando pra pro ferreiro.
–Desculpe, é que eu estava pensando na minha irmã, eu sei que a encontrarei em Prontera, faz tempo que não falo com ela– disse o ferreiro.
–Não se preocupe, nós a acharemos em Prontera, a gente viu ela nos esgotos, mas já faz muito tempo– disse Carol.
–Eu estou com fome, vamos descer pro grande salão?– pergunta Lupe.
–Ainda bem que você tocou nesse assunto, estou com fome– disse Luclock.
–Vocês dois também vão né?– pergunta Carol a Billy e Ewertton.
–Sim– responderam os dois e os cinco desceram pro grande salão que ficava no andar debaixo do convés.

Grande Salão, B1 andar, 18h50min da noite

Como o próprio nome diz, o Grande Salão tinha mesas, cadeiras, bar, palco e uma orquestra que tocava qualquer tipo de música, no momento eles tocam música de ópera. O grupo já estava sentado numa mesa não muito perto do palco e já estavam comendo.
Carol comia carne, arroz, legumes cozidos, feijoada e suco de cenoura; Lupe comia carne, arroz, banana cortada em rodelas, feijoada e suco de uva, mas ele colocava molho de soja na comida; Luclock comia carne, arroz, macarrão com molho, feijoada e suco de maçã; Ewertton comia carne, arroz, feijoada e suco de morango e Billy só comia carne arroz, carne e suco de cenoura.
–Nossa porque você come só isso Billy?Deveria colocar mais coisas como a feijoada de Brasilis, é gostosa demais– disse Luclock.
–Não quero, eu tomo vários suprimentos alimentares que tem vários tipos de vitamina e faço isso pra manter meus músculos aqui– disse Billy mostrando os braços fortes.
–Ah tah, entendi– disse Luclock que depois ficou envergonhado.
–Eu também quero esses suprimentos alimentares, já que eu malho muito pra manter esses músculos das pernas pra eu dar bons chutes– disse Carol.
–Toma algumas, mas vê se não exagera, porque senão pode causar alguma doença, como fraqueza, dor de cabeça, tenha muito cuidado, tome uma por dia depois de alguma refeição– disse Billy entregando algumas caixas que contem 20 capsulas de vitaminas.
–Muito obrigada, eu vou ter cuidado sim– disse Carol.
O apresentador sobe no palco e diz:
–Senhoras e senhores, eu peço um minuto da sua atenção.
Todos que estavam comendo, bebendo e conversando pararam pra olhar pra ele.
–Hoje temos uma grande convidada, uma dica: ela era uma mercadora quando era criança, tem um poring, hoje ela é uma criadora e lançou um livro muito famoso, alguém sabe?– pergunta o apresentador.
–É a Maaya– responde uma alquimista que esta sentada numa mesa perto do palco.
–Acertou querida, e ela esta aqui pessoal, uma salva de palmas para Maaya a criadora– diz o apresentador.
A criadora apareceu de trás do palco, ela é linda, cabelos brancos e soltos, olhos castanhos e vinha acompanhada com o poring chamado Poi-poi, eles foram aplaudidos, que as pessoas ficaram até de pé para aplaudir.
–Meu Deus do céu, se a Lila tivesse aqui ela iria gritar que nem uma louca– disse Carol batendo palmas.
–É verdade amor, eu lembro que ela contou das aventuras dela, Roan, Yuffa e os outros quando a gente estava na Ilha dos Aprendizes– disse Lupe que batia palmas.
–Eu li o livro dela, é muito bom, eu até vi as aventuras dela quando eu li, fiz uma viagem espiritual– disse Ewertton que batia palmas.
–Nossa Ewertton, então você fez uma grande viagem– disse Luclock que batia palmas.
–Quem é ela?– pergunta Billy que batia palmas sem entender.
–Depois a gente conta, ela vai começar a falar agora– disse Carol.
–Boa noite pessoal– disse Maaya que arrancou vários gritos e palmas da platéia– é uma honra estar aqui, eu gosto muito de viajar no aeroplano e muito obrigada por fazerem meu livro serem um dos mais vendidos de Rune-Midgard.
Poi-poi que estava no chão do lado da criadora, deu uns pulos e Maaya pegou ele e botou no seu ombro e disse:
–Ele é meu filhinho, e ele quer falar com vocês, fala ae Poi-poi.
–Boa noite pessoal, poring,poring– disse Poi-poi que depois riu.

Todos ficaram impressionados que o poring consegui falar, depois eles bateram palmas.
–Por essa eu não esperava– disse Billy.
–Eu também não– disse Luclock.
–Já vi que essa criadora é incrível– disse Ewertton.
–Eu estou começando a ficar fã dela– disse Carol.
–Eu também, já vi que ela cria poções incríveis– disse Lupe.
–Quando acabar vou pedir um autógrafo pra dar pra Lila, ela vai pirar– disse Carol.
–Obrigado por vocês gostarem de mim, eu estou falando graças a minha mãe por ter feito a poção para eu falar– disse Poi-poi.
–Bem pessoal uma dica pra quem quer ser criador que nem eu é você se tornar um bom alquimista, estudar muito e quando for renascer e se tornar um criador, tem que estudar mais, assim vocês terão um trabalho bem recompensado– disse Maaya.
–Isso mesmo, façam como a minha mãe, ela estudou muito pra ser o que é hoje– disse Poi-poi.
–Voces querem perguntar alguma coisa pra a nossa convidada?– pergunta o apresentador pra platéia.
–SIIIIM– a platéia responde.
Alguns fizeram perguntas e ela respondeu com tranqüilidade, e Carol levantou a mão, e o apresentador disse:
–Aquela lutadora taekowndo tem uma pergunta, pode dizer.
–Bem, eu tenho duas, a primeira é: eu queria que você desse um autógrafo pra minha amiga, Lila quando acabar e a segunda é você sofreu muito na infância é verdade?
–Bem, respondendo a primeira pergunta, sim, com prazer eu faço, é bom ter o carinho dos fãs e a segunda, sim, como você e os outros devem ter lido, eu sofri sim, fui à única sobrevivente de um naufrágio que veio aportar em Alberta, e eu tive que viver sozinha na cidade junto com o Poi-poi, eu morava num galpão e foi difícil, quando fui vender as maçãs que o Poi-poi pegou os mercadores destruíram o meu carrinho e me levaram junto com eles e eles me batiam, foi doloroso demais, aí com ajuda de uma mulher de lá eu fui pra Ilha dos aprendizes e me tornei uma mercadora, eu só ia acompanhada de alguns grupos só pra vender mercadorias, eu passava a perna neles, mas quando eu conheci o Roan e a Yuffa eu deixei de ser essa pessoa, também fui grande amiga da Takius, da Judia, do Iruga, da Jirtas e da Alice e juntos derrotamos o Senhor das Trevas– disse Maaya.
Lupe levantou a mão e o apresentador disse:
–O mago do lado dela levantou a mão, pode falar.
–E depois disso o que você fez?– pergunta Lupe.
–Eu continue a jornada com Roan, a Yuffa e a Judia, mas conforme foi passando o tempo, cada um tomou o seu rumo, Judia foi criar o filho que teve com Iruga, Roan e Yuffa se casaram e tiveram filhos e eu fui viajando de cidade em cidade, vendendo meus itens até eu me tornar uma alquimista e crie ótimas poções, como essa de fazer um poring falar, não só ele, mas toda a raça poring, como Poporing, Drops, Marin, etc... aí já velhinha decidi escrever esse livro contando a minha história– respondeu a criadora.
Ewertton levantou a mão e o apresentador disse:
–Aquele espiritualista tem uma pergunta, pode falar.
–É verdade que a senhora ajuda as pessoas?
–Si, sou uma pessoa muito solidária, graças ao Roan e os outros eu ajudo todos, até participo da Guilda dos Alquimistas , dou palestras, eu gosto muito de ajudar os mercadores que querem seguir esta profissão, e ajudo os mais necessitados porque eu fui moradora de rua também– respondeu Maaya.
–É verdade, a minha mãe sofreu muito e ela superou muita coisa e hoje ela esta aqui– disse Poi-poi.
–Ah obrigada Poi-poi, você não sabe o quanto eu fico feliz em ouvir isso– disse à criadora que deu um beijo no poring, e todos riram e bateram palmas.
Luclock levantou a mão e o apresentador disse:
–O bardo também daquela mesa quer fazer uma pergunta.
–Você também construiu uma família? Conheceu um cara?– pergunta o bardo.
–Sim, eu conheci ele em Alberta, nós tínhamos os mesmos destinos, ele também queria ser um alquimista e aí depois que nos tornamos alquimistas casamos e tivemos filhos, mas ele morreu numa experiência que ele estava fazendo, uma poção explosiva, eu disse que era perigoso, mas ele falhou num ingrediente– disse Maaya que começa a chorar.
Todos fizeram um “oooohhh”.
–Ok pessoal, sem mais perguntas por hoje, a nossa convidada precisa descansar, aproveitem a noite com uma boa música, podem tocar rapazes– disse o apresentador.
A orquestra tocou uma melodia e todos voltaram a conversar nas suas mesas.
–Você tinha que acabar com clima né Luclock, aff– disse Carol.
–Eu só queria saber se ela já é casada, era só isso– disse o bardo.
–Tenha calma, todos nós cometemos erros, você não teve culpa nenhuma, nem nós nem você sabíamos dessa história– disse Ewertton.
–Vai ver que ela não colocou isso no livro– disse Billy.
–A Lila falou muito desse livro, mas também acho que a Maaya não colocou isso no livro– disse Lupe.
–Por isso que ela não deve ter colocado porque foi uma lembrança mito dolorosa e é difícil de superar, é muito ruim quando uma pessoa que tanto ama morre, e Lupe eu não quero que você morra amor– disse Carol que segura na mão de Lupe.
–Fique tranquila querida que jamais vai acontecer isso comigo– disse o mago.
–Pessoal eu já estou ficando com sono, a noite foi longa eu vou pra minha cabine descansar, boa noite pra vocês– disse Billy.
–Boa noite, Billy– disseram os quatro.
–Eu também vou dormir, preciso relaxar, boa noite– disse Ewertton.
–Eu também depois disso, estou cansado, boa noite e vocês dois aproveitem a música– disse Luclock.
–Boa Noite Ewertton, boa noite Luclock– disseram Carol e Lupe.
Depois que Ewertton e Luclock foram pra suas cabines Carol e Lupe ficaram na mesa, e pouca gente ficou na mesa escutando a melodia, até que pararam e o vocalista da orquestra disse:
–Essa música é pra os apaixonados, todos os casais venham pra pista dançar agarradinhos.
–Vamos lá amor, vamos dançar?– pergunta Carol.
–Vamos querida, essa é a nossa noite– disse Lupe.
Todos os casais, até Carol e Lupe se levantaram da mesa e foram pra pista dançar e o vocalista disse:
–Eu dedico essa música para todos os casais que estão aqui presentes e pra minha namorada, a música se chama Seus Olhos, escutem e dancem.
Tem início o Momento Musical.

––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––
MOMENTO MUSICAL
Música: Seus Olhos – Rodrigo Andrade
Quem canta: O vocalista da orquestra do aeroplano.

A melodia começa e os casais começam a dançar e o vocalista diz:

"Uma vez um simples olhar fez eu me apaixonar
E essa paixão virou uma música
É mais ou menos assim..."

E ele começa a cantar:

Seus olhos, sua boca,
Seu cheiro não sai da minha roupa
Seu toque em minha pele
Me marca e quase me enlouquece
Te vendo assim, tão linda pra mim
Desejo que não tem fim
Me fez lembrar a primeira vez
Que eu te vi e me apaixonei

Quando o refrão é cantado o vocalista canta mais alto:

Seu olhar cruzou o meu
Tudo em volta se perdeu
E o mundo sorriu pra mim
Desejo que não vai ter fim
Seu olhar cruzou o meu
Tudo em volta se perdeu
E o mundo sorriu pra mim
Desejo que não vai ter fim

–Nossa que música linda a gente esta ouvindo, eu me senti assim desde que te vi pela primeira vez na Ilha dos Aprendizes– disse Carol abraçada a Lupe.

–É mesmo eu nem sabia, eu estava alegre por estar lá que eu nem notei– disse Lupe.

–Mas agora que eu te conto, esse seus olhos foi o que me fizeram apaixonar por você– disse Carol que parou de abraçar e olhou pra ele.

–Eu digo o mesmo pra você agora que estou sentido– disse Lupe que olha pra ela e eles se beijam.

O vocalista volta a cantar:

Teus olhos, tua boca,
Teu cheiro não sai da minha roupa
Seu toque em minha pele
Que me marca e quase me enlouquece
Te vendo assim, tão linda pra mim
Desejo que não tem fim
Me fez lembrar a primeira vez
Que eu te vi e me apaixonei

No refrão ele canta mais alto:

Seu olhar cruzou o meu
Tudo em volta se perdeu
E o mundo sorriu pra mim
Desejo que não vai ter fim
Seu olhar cruzou o meu
Tudo em volta se perdeu
E o mundo sorriu pra mim
Desejo que não vai ter fim

–Obrigado, valeu pessoal– disse o vocalista chorando que a namorada dele viu de longe e foi correndo beijá-lo.

FIM DO MOMENTO MUSICAL
–––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––

Carol e Lupe e os outros casais pararam de dançar e ela disse:

–Eu adorei essa música, e dançamos muito, foi mágico.

–Eu também senti isso e adorei a música– disse Lupe.

–Lupe eu te amo– disse Carol.

–Isto é recipocro– disse o mago.

– O que é isso?– pergunta a lutadora.

–É uma coisa mútua, como agora se você me ama, isso quer dizer que eu também te amo, isso significa a palavra recipocro– explica Lupe.

–Ah, Lupe– disse Carol que o beija.

Depois de alguns minutos se beijando eles param e ele diz:

–Esta ficando tarde, vamos dormir?

–Vamos amor, estou ficando cansada– responde Carol.

E eles foram pra cabine dormir.

Lupe89
Super Aprendiz
Super Aprendiz

Mensagens : 39
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 28
Localização : Recife

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

9º capítulo

Mensagem por Lupe89 em Qui Jul 07, 2011 12:49 am

Capítulo 9 – Invasão no aeroplano



Compartimento de carga do Aeroplano, B3 andar, 05 de abril de 2010, 4h30min da manhã

No compartimento de carga do aeroplano, Anita e Aurion usam galhos secos pra invocar Agressor,Alarme,Batedor,Bogun, Dimik, Gremlin, Beholder, Chon-Chon de Aço, Picky,Venatu, Drainliar e Familiar.

–Os passageiros daqui vão ter uma surpresa pra acordar– disse Aurion.

–Principalmente o Lupe, a Carol e o Luclock, esses três me pagam– disse Anita.

–Que bom que o Senhor das Trevas nos contratou pra coletar almas de MVPs e de pessoas que possuem alguma alma maligna– disse Aurion que depois riu sarcasticamente.

–Até agora nós temos o orgulho de Doppelganger, a Ira de Osíris e a Ambição do avô de Lupe, a Inveja de Jerry, Poly e Rokusho em um só cristal, só falta três almas, o ódio, o sofrimento e o desespero, mas quem tem essas almas?– deduz Anita.

–O MVP Ktullanux que o Lupe matou, foi só uma brincadeira do mestre Mephysto?– pergunta Aurion.

–Aff Aurion, você não se lembra que isso foi só uma armação para prender aqueles cinco? E não sei por que eles conseguiram ser inocentes e ganharam liberdade, que ódio– disse Anita.

–Mas agora vamos começar a brincadeira– disse Aurion que fez uma magia pra que os monstros os obedecessem.

–Muito bem criaturas, está na hora de acabar com a paz desses aventureiros que estão aqui, façam de tudo pra que eles sofram e acabem com esse aeroplano, e acabem com a Carol, Lupe e Luclock– disse Anita que os monstros fizeram sim com a cabeça e eles riram sarcasticamente.

Grande Salão,B1 andar, 9h30min da manhã

O grupo acordou e eles tomaram café da manhã e Carol disse:

–Amanhã a gente chega em Izlude num vejo a hora de assim que chegarmos lá irmos correndo pra Prontera reencontrar os amigos.

Lupe que estava com cajado do lado dele disse:

–Eu também não vejo a hora, tenho muita coisa pra contar pra eles.

–Não se esqueça de mim, também estou com saudades deles– disse Luclock.

–Eu quero rever a minha irmã Kimberly, eu liguei pra ela e pedi pra ela avisar pra seus amigos que chegaremos amanhã– disse Billy.

–E Ewertton você vai adorar conhecer eles, eu tenho certeza que eles vão gostar de você– disse Carol.

–Tudo bem, o importante é que eu quero viajar com vocês– disse Ewertton.

–Voce vai se divertir e muito com a gente cara– disse Luclock botando a mão no ombro dele.

De repente acontece uma gritaria enorme e uns barulhos.

–O que esta acontecendo? Parece um tumulto– disse Luclock.

–Atenção povo do aeroplano aqui é o capitão Tarlock e o nosso aeroplano esta sendo invadido por monstros, aqueles que puderem lutar venham para o convés, e os que não puderem se refugiem nas suas cabines ou pro compartimento de carga, nos ajudem a acabar com esses monstros– disse o capitão pelos auto-falantes do aeroplano.

–Ah estou com saudades das lutas com monstros, e aí vamos lá?– pergunta Luclock.

–Eu estou dentro, só preciso ir pra cabine pegar o meu carrinho e meu machado, estou indo lá e encontro vocês la encima– disse Billy que foi correndo pra cabine dele.

–Eu vou pegar o meu arco e os aljavas de flechas– disse Luclock.

–Eu ja estou com o meu cajado aqui– disse Lupe.

–Eu sempre estou equipada– disse Carol.

–Eu não preciso de arma nenhuma, só das forças espirituais, vamos lá– disse Ewertton.

Os três foram correndo pra o convés do aerolpano.

Convés do aeroplano, Térreo, 9h50min da manhã

Eles viram a confusão, os mosntros que são Agressor, Alarme, Batedor, Bogun, Dimik, Gremlin, Beholder, Chon-Chon de Aço, Picky,Venatu, Drainliar e Familiar atacando as pessoas, alguns correram e outros atacaram, alguns monstros viram os três e o gremilin disse:

–Ali estão os três que os nossos senhores procuram, peguem eles.

Os monstros correram e voavam pra cima deles.

–Lá vem eles, vamos atacar– disse Carol.

–Certo– disseram Ewertton e Lupe ao mesmo tempo.

Carol correu pra cima de um grupo de monstros os terrestres e gritou:

–RASTEIRA!

Ela deu uma rasteira nos monstros que caíram no chão, os monstros aéreos voavam pra cima dela, e Lupe invoca uma magia:

–TEMPESTADE DE RAIOS!

Os raios apareceram e caíram encima deles.

–Obrigada amor.

Ewertton ficou desviando dos tiros dos Venatus e Dimiks e usou a magia espiritual:

–ESTUN!

Umas bolhas espirituais andam em direção aos robôs que ficaram atordoados e outros monstros que estavam atrás dos robôs também e o espiritualista invocou outra magia:

–ESMA!

Dois discos espirituais cortantes apareceram e foram cortando os monstros que via pela frente e o espiritualista controlava os discos.

–É assim que se faz Ewertton– disse Lupe.
Ele fez um legal com o polegar, mas de repente ele recebe um relâmpago bem nas costas e depois uma Luz Divina que cai no chão.

–EWERTTON– gritaram Carol e Lupe.

Quando olharam de onde vieram as magias, eles se deparam com Aurion e Anita.

–Ora ora, finalmente nos encontramos depois de tanto tempo– disse Anita.

–Deixa de mentira sua mocréia, nós sabemos que vocês estavam no tribunal de Rachel e que disfarcezinhos bregas eram aqueles heim– disse Carol provocando-a.

–Sua arrogante, então vocês já sabiam, como foi que vocês souberam?– pergunta a sacerdote.

–Simples, a gente desconfiou desde que vocês começaram a falar de mim e dos outros– responde Lupe mentindo.

–Nossa como vocês são espertos, e vocês nem se tocaram que o MVP foi uma armadilha para prender vocês e vocês caíram direitinho– disse o sábio.

–Então aquilo foi uma armadilha? A gente foi para salvar um amigo de duas pessoas que conhecemos nos campos de Rachel, se é que você é burro Aurion– disse Lupe.

–Não me chame de burro– disse Aurion com raiva que mandou um relâmpago e Lupe rapidamente se desviou– você vai se arrepender de ter dito isso.

–BENÇÃO– grita Anita com as mão abertas pra frente mirando em Aurion e depois diz– acaba com ele.

–Só se passar por cima do meu cadáver– disse Carol.

–Como quiser sua Nuba, BOLA DE FOGO– disse Aurion que lança uma bola de fogo e ela esquiva.

–DIMINUIR AGILIDADE– grita Anita mirando em Carol que ela sente que esta fraca.

–Eu não consigo me mexer direito, amor me ajude– disse Carol.
–LANÇAS DE FOGO– grita Lupe que as lanças caem encima de Aurion.

–DESCONCENTRAR– grita Aurion que o círculo de magia que estava sobre ele foi quebrado e as lanças de fogo sumiram.

–O QUE?– diz Lupe surpreso.

–Voce não pode me atacar com magia, eu quebro qualquer magia– disse Aurion.

–LEX AETERNA– grita Anita e um anjo aparece joga as três espadas brancas encima de Lupe e se sente enfraquecido.

–Droga– disse Lupe.

–RELAMPAGO– grita Aurion e ele manda um relâmpago pra cima de Lupe , o mago coloca o cajado na frente dele mas foi em vão, ele sente a descarga elétrica e desmaia.

–LUPE– grita Carol.

–Agora vamos acabar com você, quer dizer, não vamos sujar as nossas mãos, nossos monstros acabarão com você, ataquem ela– disse Anita.

Os monstros foram correndo em direção a ela, Carol não consegue se mexer direito, ela se mexe lentamente, vendo que não consegue ela começa a gritar, mas de repente.

–CHUVA DE FLECHAS!

Um monte de flechas caíram encima dos monstros e morreram, e Aurion e Anita, viram Luclock e Billy correndo em direção a Carol.

–Só faltava essa, aquele bardo e agora conseguiu ajuda de um ferreiro– disse Aurion.

–Precisamos sair daqui e deixar tudo com os monstros, solta mais galhos secos– disse Anita que Aurion jogou os galhos secos perto deles e saíram quebrando os galhos e apareceram mais monstros.

–Voces estão bem?– pergunta Billy.

–O Ewertton e o Lupe sofreram uma descarga elétrica e desmairam e eu não cosnigo me mexer direito porque a Anita usou diminuir agilidade em mim– disse Carol.

–Ela esta aqui?– pergunta Luclock que depois olha pra ela e Aurion e pra os monstros.

–Quer saber, nós vamos deixar isso na mão deles, aproveitem os últimos momentos e adeus– disse Aurion que eles jogaram uma bomba de fumaça e despareceram, deixando os monstros que foram pra cima deles.

– Cuida dela, eu acabo com eles, ADRENALINA PURA– disse Billy que depois que gritou a habilidade ele ganhou velocidade e foi golpeando cada monstro com o seu machado.

–Eu ajudo– Luclock pega uma flecha, mira pra cima e grita– CHUVA DE FLECHAS!

As flechas caíram encima dos monstros e Luclock disse:

–E agora o que a gente faz?

–VAI LIF, AJUDA ELA.

Uma Lif, que é uma elfa de cabelo verde apareceu e usou a magia de cura nela, a luz verde brilhante envolveu Carol que volta ao normal.

–Obrigada.

–Muito obrigado– disse Luclock.

– Eu vou curar seu namorado e seu amigo– disse Lif que foi curar eles.

–Nossa ela fala, nunca vi uma homonucula falar– disse Luclock.

–Foi graças a mim que ela esta falando– disse a criadora que chegou perto deles junto com Poi-poi.

–MAAYA– gritaram Carol e Luclock.

–CURAR–gritou Lif com as mãos abertas na frente mirando primeiro em Ewertton e depois em Lupe.

–Ai que dor de cabeça, obrigado– disse Ewertton.

–Ai que dor de cabeça forte é essa, obrigado– disse Lupe.

–Vocês estão bem?– pergunta Maaya.

–Maaya, que surpresa– disse Lupe que ele e Ewertton se levantaram.

Ela olha pro cajado de Lupe e fica assustada:

–Por que você esta com esse cajado?

–Esse cajado foi um mestre que me deu e preciso muito dele, mas porque a senhora esta perguntando isso?

Antes que Maaya pudesse responder, Billy grita:

–EU PRECISO DE AJUDA AQUI.

–Eu explico depois, vamos acabar com esses monstros– disse Maaya.

–Certo– disse Lupe.

–Eu vou usar a magia de espírito em vocês, mas só funciona com 2ª classe e você Maaya já que é transclasse vai funcionar o espírito de Alquimista– disse Ewertton.

–Pode mandar espiritualista– disse a criadora.

Ele se concentra e grita:

–ESPÍRITO DO ALQUIMISTA!

O corpo de Maaya de ficou azul e depois de alguns segundos voltou ao normal.

–Nossa o que aconteceu?– pergunta Carol.

–Eu também estou impressionado– disse Lupe.

–Quando vocês forem 2ª classe você irão receber esses espíritos– disse Ewertton.

–Usa em mim também– disse Luclock.

–Aqui vai Luclock, ESPÍRITO DO ARTISTA– disse Ewertton que depois manda o espírito pra o bardo que ele ficou azul e depois voltou ao normal.

–Adorei, o que ele faz?– pergunta o bardo.

–Esse espírito concede temporariamente ao Bardo ou Odalisca-alvo. Enquanto durar a habilidade, Bardos e Odaliscas terão maior Velocidade de Movimento usando suas habilidades, receberão os efeitos de suas próprias habilidades de Música ou Dança, e poderão fazer combos com Assovio, Sibilo, Crepúsculo Sangrento, Não Me Abandones, Poema de Bragi, Beijo da Sorte, Maçãs de Indun e Dança Cigana sem que o parceiro tenha a habilidade maximizada– explica Ewertton.

–Que demais, então eu vou lá– disse Luclock que pega a flecha e ataca rapidamente os monstros.

–Nem precisa explicar pra mim que eu já sei, afinal tenho 125 anos– disse Maaya que foi correndo levando o seu carrinho cheio de poções e a sua Lif.

–125 ANOS?!– disseram ao mesmo tempo Ewertton, Carol e Lupe.

–TOMEM ISSO– grita Maaya jogando as poções explosivas nos monstros.

–TOMA ISSO– grita Lif atacando os monstros com os seus braços.

–Vou dar espírito pro Billy, e vou ajudar– disse Ewertton que foi correndo aonde Billy esta lutando.

–E nós vamos atacar, vamos lá querida– disse Lupe.

–Estou com você amor– disse Carol que juntos foram pra cima dos monstros.

–ESPÍRITO DO FERREIRO– grita Ewertton que o corpo de Billy fica azul e depois volta ao normal.

–Nossa, o que ele faz?– pergunta Billy.

– Enquanto durar esta habilidade, o uso de Adrenalina Concentrada será ativado, se o Ferreiro tiver Adrenalina Pura maximizado. Adrenalina Concentrada pode ser usada em todas as armas, exceto as do tipo Arco, e não pode ser usada junto com habilidades com efeitos similares, como Rapidez com Uma/Duas Mãos ou Lança, Adrenalina Pura, Sombra ou Proteção Solar, Lunar e Estelar, ou Crepúsculo Sangrento– explica Ewertton.

–Então eu posso usar a adrenalina concentrada, pra que meus golpes fiquem mais rápidos ainda, que demais, valeu Ewertton– disse Billy.

–De nada eu só quero ajudar os meus amigos, pena que não posso usar espíritos em Carol e em Lupe, eles ainda são 1ª classe– disse Ewertton.

–Então ajude eles, não se preocupe comigo, eu me viro aqui– disse o ferreiro.

–Ok, então vou lá– disse Ewertton.

–CHUTE DO TORNADO– grita Carol que gira chutando vários monstros em torno dela.

–LANÇAS DE GELO– grita Lupe que as lanças de gelo caem encima dos monstros.

–AMPLIFICAR PODER–grita Billy que o machado recebe uma onda espiritual azul por causa da adrenalina concentrada e ele ataca os monstros com rapidez e precisão.

–PIADA INFAME, Qual a planta que os orcs adoram? A orc-quídea– disse Luclock que os monstros congelaram– Lupe usa tempestade aqui.

–TEMPESTADE DE RAIOS– grita Lupe que os raios caem encima dos monstros congelados e morrem.

–BOMBA ÁCIDA– grita Maaya que joga bombas ácidas nos monstros matando cada um.

–ESTUN, ESMA– grita Ewertton que lança uma onda de bolhas espirituais e depois os discos espirituais cortantes, matando cada um.

Depois de algumas horas, todos conseguem acabr com a invasão de monstros no aeroplano.


Grande Salão, B1 andar, 15h00min da tarde

O capitão Tarlock que é uma espécie de Alce/Rena chama todos para o Grande Salão e ele no palco diz usando o microfone:

–Quero agradecer a todos por terem acabado com os monstros e como agradecimento, cada um vai receber dois passe para voar de graça nesse e no outro que o meu irmão Ferlock comanda, uma salva de palmas pra vocês mesmos.

Todos bateram palmas.

–E quero agradecer especialmente para a criadora Maaya, por ter ajudado a derrotar esses monstros, muito obrigado– disse Tarlock.

Todos bateram palmas e gritaram pra Maaya.

–Ah obrigada, mas eu não teria conseguido se não fosse pela minha homonuncula Lif que esta aqui e por algumas pessoas– disse Maaya pelo microfone.

–E quem são essas pessoas?– pergunta o capitão.

–São aventureiros que terão um grande desafio pela frente, e com certeza eu estarei lá para ajudá-los, um dia quem sabe, mas eu vou ajudá-los com certeza no momento certo– disse Maaya.

–Entendo e agora músicas pop para todos saírem das mesas e virem pra pista dançar vamos se divertir pessoal– disse Tarlock

–Deixa que eu canto essa música, afinal eu gostei demais dela, e tenho um bom gogó pra cantar, afinal tenho 125 anos– disse Maaya.

–Eu sei que você tem mais de 100 anos porque renasceu e esta com corpo de 25 anos, então vamos cantar eu e você, é uma música boa– disse Tarlock.

–Ok vamos lá– disse Maaya.

Tem início mais um Momento Musical.

–––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––
MOMENTO MUSICAL
Música: Shine Happy People – R.E.M
Quem canta: Tarlock e Maaya.
Nessa música vou ficar colocando a pessoa e a parte que ela canta, porque alterna.

Tarlock e Maaya cantam juntos:

Shiny happy people laughing
(Pessoas ilustres e felizes sorrindo)

Tarlock começa a cantar :

Meet me in the crowd
(Encontrem-me na multidão)
People
(Pessoas)

Juntos:

People
(pessoas)

Tarlock:

Throw your love around
(Espalhem seu amor por aí)
Love me
(me ame)

Juntos:

love me
(me ame)

Tarlock canta:

Take it into town
(levem- no para cidade)
Happy
(felizes)

Juntos:

Happy
(felizes)

O Tarlock canta:

Put it in the ground
(Coloquem no chão)
Where the flowers grow
(Onde as flores brotam)
Gold and silver shine
(Ouro e prata reluzem)

O refrão Tarlock canta:

Shiny happy people holding hands
(Pessoas ilustres e felizes dando as mãos)

Maaya:

Shiny happy people holding hands
(Pessoas ilustres e felizes dando as mãos)

Tarlock:

Shiny happy people laughing
(Pessoas ilustres e felizes sorrindo)

Maaya:

Everyone around love them
( todos ao redor amem-nos)

Juntos:

Love them
(amen-nos)

Maaya:

Put it in your hands
(Coloquem-no em suas mãos)
Take it
(Aceitem)

Juntos:

Take it
(aceitem)

Maaya:

There's no time to cry
(Não há tempo para chorar)
Happy
(felizes)

Juntos:

happy
(felizes)

Maaya:

Put it in your heart
(Coloquem no seu coração)
Where tomorrow shines
(Onde o amanhã reluz)
Gold and silver shine
(Ouro e prata reluzem)

Refrão

Tarlock:

Shiny happy people holding hands
(Pessoas ilustres e felizes dando as mãos)

Maaya:

Shiny happy people holding hands
(Pessoas ilustres e felizes dando as mãos)

Tarlock:

Shiny happy people laughing
(Pessoas ilustres e felizes sorrindo)


–Agora todo mundo dançando e cantando o refrão– disse Maaya.

Todos:

Shiny happy people holding hands
(Pessoas ilustres e felizes dando as mãos)
Shiny happy people holding hands
(Pessoas ilustres e felizes dando as mãos)
Shiny happy people laughing
(Pessoas ilustres e felizes sorrindo)

FIM DO MOMENTO MUSICAL

––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––

Depois que todos cantaram e dançaram adoidados eles voltaram a se sentar e comer.

–Adorei demais, isso significa que a gente tem que levar a felicidade aonde quer que a gente vá– disse Ewertton.

–Nossa, pela primeira vez estou vendo que você esta muito alegre– disse Luclock.

–E não é pra estar? Já vi que vou me divertir muito viajando com vocês– disse o espiritualista.

–Eu também me diverti muito, até que dançar é um ótimo exercício contra o baixo astral– disse Billy.

–Eu me diverti muito dançando, e você amor se divertiu também?– pergunta Carol.

–Sim querida me diverti muito , mas o que a Maaya disse sobre a gente antes dessa música foi o que me chamou atenção– disse Lupe.

–Eu também achei estranho, ela disse que vai ajudar a gente no momento certo– disse Luclock.

–Então nós vamos ver ela de novo, mas eu vou aproveitar pra pegar o autógrafo dela e dar pra Lila– disse Carol.

–Aproveita enquanto é tempo– disse Luclock.

Carol sai da mesa e foi pra cabine pegar um caderninho com uma caneta pra que a Maaya autografasse, mas ela fez melhor, deu o livro dela e autografou .

–Maaya não é pra mim, é pra Lila, minha amiga, é muito fã da senhora– disse Carol.

–Esse é pra você, mas o outro é pra ela– disse Maaya que autografou , Poi-poi também autografou, usando a caneta com a boca e deixou um pouquinho da sua gosma rosa embaixo do nome dele.

–Obrigada Maaya– disse Carol.

–De nada e a gente se vê, em breve– disse Maaya.

–Ok, esta bem– disse Carol.

Depois a Maaya se despediu do pessoal.

–Muito obrigada a todos, foi um prazer estar aqui nesse aeroplano, eu irei viajar amanhã por esse mundo mais uma vez divulgando o meu livro e os meus conhecimentos de alquimia e criação.

–Eu também adorei, muito obrigado e poring, poring– disse Poi-poi.

Todos batem palmas pra eles, que saem do Grande Salão.

Mas fica uma dúvida na cabeça de Lupe, porque é que a Maaya olhou logo pro cajado de Lupe, será que ela sabe alguma coisa?

Lupe89
Super Aprendiz
Super Aprendiz

Mensagens : 39
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 28
Localização : Recife

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

10º Capítulo

Mensagem por Lupe89 em Qui Jul 14, 2011 12:29 am

Capítulo 10 – Reencontro de amigos e inimigos (parte 1)


Prontera, 06 de abril de 2010,9h00min da manhã

Em Prontera, na praça um casal, um templário e uma sacerdotisa, esperam ansiosos sentados no banco.

–Estou ansiosa pra que a Carol, o Lupe e o Luclock chegue aqui, tou morrendo de saudades deles– disse Lily.

–E eles nem sabem a surpresa que nós e o outro casal estamos esperando né amor?– disse Tom alisando a barriga de Lily.

–Sim e eles vão ser padrinhos dessa criança– disse Lily que alisa a barriga.

Minutos depois, outro casal chega e senta no banco do lado deles.

–Bom dia pessoal, como vai?– pergunta Dudu.

–Estamos aqui ansiosos pela chegada de Lupe e dos outros– responde Tom.

–Nós também estamos ansiosos, quero saber das aventuras deles e dessa prisão ridícula que eles tiveram que ter– disse Pricea.

–Pelo jeito já esta perto pra ter essa criança– disse Lily olhando pra barriga de Pricea.

–Sim, 9 meses e já esta perto, tomara que não aconteça nada, e quero que eles vejam o meu filho, e a sua gestação, já sabe se é menino ou menina?– disse Pricea.

–É uma menina, então os nossos filhos já estão comprometidos– disse Tom.

–Com certeza– disse Dudu que ele e os outros riram.

–Bom dia, pessoal– disse Kimberly que chega pra fazer companhia a eles.

–Bom dia, e aí eles já estão aonde?– pergunta Lily.

–Desembarcando em Izlude, eu estou com muita saudade do meu irmão, que bom que esta vindo com eles– disse Kimberly.

–Então todos nós estamos ansiosos, isso é fato– disse Tom.

–Eu tive que tirar esse dia de folga de venda das minhas poções só pra esse momento– disse a alquimista.

–Você não vai se arrepender Kimberly– disse Pricea.

–E cadê os outros?– pergunta a alquimista.

–Uns ainda estão treinando pra 2ª classe e os outros estão se aventurando– responde Dudu.

–Então eles não vêm né?– pergunta Kimberly.

–Sim, mas tudo bem, quando Carol e os outros chegar, a gente leva até eles– disse Lily.

Minutos depois aparecem umas pessoas indesejadas.

–Ora,ora quem eu estou vendo, aquele grupo de pessoas amigos daquele moleque imundo– disse Lisa.

–Não fale assim do meu amigo, sua loura oxigenada– disse Pricea.

–Acho que você quer eu faça você perder essa linda criança que esta carregando– disse a odalisca.

–Você não ousaria fazer isso, se fizer vai ter que passar por cima do meu cadáver– disse Dudu ficando na frente de Pricea.

–Eu passo encima do seu cadáver com muito prazer– disse Richard.

–Eu também vou adorar fazer perder o bebe dessa outro só com a minha flechada– disse Monique.

–Só se passar por cima do meu cadáver, sua caçadora maldita – disse Tom.

–Então nós vamos brincar com eles– disse Tarsila.

–Eu também quero entrar nessa brincadeira, mas vocês não vão fazer com os meus amigos– disse Kimberly.

–Mas a gente trouxe companhia– disse Richard que ele, Lisa, Monique e Tasila pegam os galhos secos, quebram e os monstros aparecem que são: Gerente da Torre do Relógio, Alma Penada, Shinobi e Serial Killer.

–Nós vamos proteger suas mulheres, venha Filir, INVOCAR HOMONUNCULU– disse Kimberly que depois gritou a técnica que apareceu o Filir, um pássaro azul, e ela aproveita pra jogar poções em torno delas, para aparecer os monstros de defesa como os parasitas e floras.


–Vamos começar a brincadeira– disse Lisa que ela usa o seu chicote pra atacar o Filir que atinge nas costas que grita.

–Sua... FOGO GREGO– disse Kimberly irritada que joga um frasco de fogo grego, encima da odalisca, mas ela esquiva pulando e quando o frasco se quebra no chão o fogo surge queimando o local.

–Errou sua nuba– provoca Lisa que a alquimista joga mais frascos de fogo grego encima dela e se esquiva de todos.

Ela estava longe e a alquimista aproveita pra socorrer o seu homonunculu ferido.

–Filir, você esta bem?– pergunta a alquimista que o pássaro solta um piu baixo e gemendo de dor– beba isso.

Ela da o frasco de poção branca na boca do homonunculu que bebe e se recupera, e ele vê a Alma penada se aproximar deles e ataca.

Richard luta com Dudu usando as espadas.

–Eu adoro lutar com você– disse Richard dando uma espadada que Dudu se defende com o escudo.

–Eu também, vamos lutar até alguém sobreviver– disse Dudu dando a espadada em Richard que ele bloqueia o golpe com a sua espada.

–GOLPE FULMINANTE– grita Richard que a lamina da espada fica vermelha.

Dudu foi rápido na técnica.

–ESCUDO– ele põe o escudo em pé no chão que a ponta de baixo do escudo aparece um tripé, fazendo com que o escudo ficasse parado em pé– REFLETOR.

Uma aura amarela ilumina o escudo e quando Richard golpeia o escudo acontece um grande impacto fazendo com que os dois voassem e caíssem no chão.

Tom luta com os monstros Shinobi e Serial Killer, o Shinobi lança as estrelas e Tom se protege com o escudo, mas o Serial Killer aproveita pra golpear o templário por trás e Tom é atingido e cai no chão, mas quando ele esta deitado e os monstros vão golpeá-lo, ele pega o escudo e põe na frente dele e quando os monstros golpeiam o escudo ele grita.

–PUNIÇÃO DIVINA.

O escudo fica roxo fazendo com que os monstros voassem com o contra ataque.

–O melhor ataque é a defesa– disse Tom, mas Tarsila dá um ataque corporal empurrando o templário pra que caísse no chão.

–Nem sempre é assim seu noob– disse a mercenária.

–Você me paga, sua nuba– disse Tom.

Mas quando a mercenária parte pra cima do templário, de repente ela é atingida por um katar no rosto cortando a bochecha e cai no chão, quando ela mexe no rosto e vê seu sangue na sua mão, ela olha pra frente com raiva e vê um mercenário que esta na frente do templário.

–Sentiu saudades, acho que ainda temos contas a acertar– disse Fábio.

–Você me paga– disse Tarsila com raiva.

–Que bom que você chegou Fábio, obrigado– disse Tom.

–Deixe ela comigo, vá ajudar os outros– disse Fábio sem olhar pra Tom e olhando pra mercenária que ela corre rapidamente pra cima dele e ele faz o mesmo pra cima dela e acontece a luta de katares.

As sacerdotisas Lily e Pricea estão protegidas pelas floras e parasitas que a Kimberly invocou, o Gerente da Torre do relógio ataca, e as plantas atacam, as parasitas soltas as folhas cortantes e quando o mostro chegam perto as floras dão uma mordidda no monstro e as sacerdotias ajudam as plantas.

–LEX AETERNA– grita Lily com as mãos abertas na frente mirando no monstro fazendo com que o anjo aparecesse encima do monstro jogando as espadas brancas pra que ele fique enfraquecido.

–LUZ DIVINA– grita Pricea com as mãos abertas na frente mirando no monstro fazendo com que a Luz divina atingisse em cheio o monstro que cai no chão se desmontando.
–Parabéns Pricea– elogia Lily.

–Não teria conseguido se não fosse a sua Lex Aeterna e das floras e parasitas– disse Pricea.

–De nada e... CUIDADO– disse Lily que viu as flechas caindo pra cima delas, ela puxou Pricea e ficou encima dela, e acabou sendo atingida nos ombros e nas costas e atingiu também as plantas que morreram.

–LILY– grita Pricea que sai debaixo dela e vê Monique que ri.

–Que comovente, ela esta prestes a perder o filho e você é a próxima– disse Monique mirando a flecha nela.

–Nunca, LUZ DIVINA– disse Pricea que bota as mãos abertas na frente e a Luz Divina vai em direção a caçadora, mas ela esquiva.

–Ok eu não fazer isso com você, mas o meu falcão vai– disse Monique a assobia e o falcão aparece– ataque-a.

Ela aponta pra Pricea e o falcão dá um rasante pra cima dela, Pricea fica de costas e põe as mão na sua barriga, ela é atingida, mas rapidamente ela consegue se virar pra que caia de barriga pra cima.

–PRICEA FOGE, ALGUÉM NOS AJUDE– grita Lily.

Tom que estava lutando com o Shinobi e Serial Killer viu a amada ferida.

–LILY, ESTOU INDO.

Ele corre, mas é interrompido pelo ninja que aparece dando um chute no templário que cai no chão.

–DROGA.

–AMOR SOCORRO– grita Pricea que Dudu vê ela caída de barriga pra cima e o falcão levanta vôo pra dar um novo rasante nela.

–ESTOU INDO– grita Dudu que corre mas é interrompido pelo chicote de Lisa que envolve o pescoço do templário, ela puxa, ele tenta se livrar e depois é atingido pelo golpe fulminante de Richard nas costas e cai no chão.

–Nem pense, assista a sua amada perder o bebê– disse Richard.

–Deixa que eu vou– disse Kimberly que corre onde a sacerdotisa está, mas lisa usa o chicote pra atingir as costas de Kimberly bem forte, e depois ela fica batendo mais e mais.

–Você não vai ajuda-la, vai sofrer com meu chicote– disse Lisa que rir sarcasticamente.

–Filir ataque o falcão, depressa– disse Kimberly gemendo de dor.

Quando o falcão começa a dar o rasante, o homonunculu Filir interrompe dando um ataque, e os pássaros começam a lutar. Monique olha e diz:

–Esse homonunculu é um pé no saco, vou acabar com ele.

Mas antes que ela pegue a flecha, ela é atingida pela Luz divina de Lily e cai no chão.

A sacerdotisa corre pra ajudar Pricea, quando chega perto dela,ela da a mão pra que Pricea se levante.

–Obrigada, mas você esta ferida e esta prestes a perder o bebê– disse Pricea.

–Não tem problema, mas você esta perto de ter o bebê e não quero que isso aconteça, você já vai ser mamãe logo– disse Lily.

–Mas você também vai ser, mas se você continuar me protegendo você vai acabar perdendo o bebê– disse Pricea.

–Não tem problema, é só eu e Tom fazermos outro, que esta resolvido, mas você esta prestes a ter, então por isso estou fazendo isso– disse Lily.

Fábio continua lutando contra Tarsila, eles correm saltam pelos telhados das casas.

–FACA ENVENENADA– grita Tarsila jogando a faca nele, mas ele defende com o Katar.

–Errou agora é a minha vez– disse Fábio que joga a faca envenenada e ela defende com o katar.

–Você também errou seu noob– disse Tarsila que ela e ele voltaram a lutar e a correr pulando de casa em casa, como se fosse gato e rato.

–DISPARO VIOLENTO– grita Monique que atira a flecha e atinge bem no peito do Filir.

–FILIR– grita Kimberly, mas ela grita mais gemendo de dor por causa das chicotadas de Lisa.

–Continue a sofrer agora vou dar mais forte– disse Lisa que da mais chicotadas mais fortes e a alquimista grita de dor.

–Falcão ataque as sacerdotisas– disse Monique.

–Eu não vou deixar– disse Tom que corre, mas é atingido pela faca do Serial Killer e do chute do Shinobi.

–Eu também– disse Dudu, mas é atingido pelo empurrão de Richard.

–Só se passar por cima do meu cadáver– disse Richard que rir sarcasticamente.

–Droga– disse Dudu.

O falcão começa a dar um rasante e Pricea fica assustada.

–Não se preocupe eu vou te proteger você esta prestes a ter um filho, mesmo que isso faça perder o meu bebê– disse Lily.

–Não fala isso, se salve– disse Pricea.

–Eu não vou, vou te proteger– disse Lily por mais que tenha coragem ela começa a chorar de medo.

–Você esta chorando de medo– disse Pricea.

–La vem o falcão– disse Lily chorando.

–ALGUÉM NOS AJUDE PELO AMOR DE DEUS– grita Pricea desesperada.

O falcão fica perto do chão pra dar um ataque de frente nas sacerdotisas.

Continua no próximo capítulo.

Lupe89
Super Aprendiz
Super Aprendiz

Mensagens : 39
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 28
Localização : Recife

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

11º capítulo

Mensagem por Lupe89 em Sex Jul 15, 2011 6:11 pm

Capítulo 11 – Reencontro de amigos e inimigos (parte 2)


Prontera, 06 de abril de 2010,11h00min da manhã


O falcão fica perto do chão pra dar um ataque de frente, quando se aproxima delas, de repente...

–RAJADA CONGELANTE!

Uma onda de gelo consegue atingir o falcão congelando ficando a poucos centímetros perto das sacerdotisas.

–Essa rajada congelante é de ...– disse Lily que olha pra onde veio a magia.

Pricea olha junto com ela e os outros também e se impressionam.

–LUPE– gritam as sacerdotisas alegres.

Lupe aparece junto com a Carol, Luclock, Ewertton e Billy.

–Que bom nos reencontrarmos de novo depois de tanto tempo– disse o mago.

–Essa não ele esta de volta– disse Richard.

Dudu aproveita a distração do cavaleiro e manda um golpe fulminante encima dele que cai no chão, Lisa para de dar chicotadas em Kimberly e foi socorrer o seu amado, Kimberly é ajudada por Dudu e eles chegam perto das sacerdotisas.

–Amor você esta bem?– pergunta Dudu.

–Eu estou amor, mas a Lily está ferida e eu acho que ela vai perder o bebê– responde Pricea.

–Não acredito o meu irmão veio com eles– disse Kimberly.

–E aí estão todos bem?– pergunta Carol que ela, Lupe, Luclock, Billy e Ewertton chegaram perto deles.

–Ah obrigada Lupe, mas eu acho que vou perder o bebê– disse Lily chorando.

Ewertton olha pra barriga dela e vê a menina se mexer normalmente e diz:

–Não precisa se preocupar a sua menina esta bem.

–Mas quem é ele?– pergunta Pricea.

–É uma longa história– responde Luclock.

–O seu menino também esta mexendo e não aconteceu nada, senhorita– disse Ewertton pra Pricea.

–Nossa, obrigada por dar essa notícia, mas quem é você?– pergunta Pricea.

–Deixaremos as apresentações para depois, agora vamos cuidar deles– disse Carol.

–Certo– responderam eles.

–Vamos curar vocês– disse Lily que ela e Pricea cruzaram os braços e as asinhas das pulseiras se abriram, e quando descruzaram pra levantar os braços pra cima as asas ficaram grandes e juntas gritaram– SANTUÁRIO!

O chão de onde eles estavam ficou verde brilhante e quem esta nesse solo sagrado é curado todos os ferimentos, Dudu, Kimberly, Lily e Pricea se curaram dos ferimentos.

–Amor proteja as sacerdotisas enquanto eu, Luclock, Billy e Ewertton vamos lutar com eles– disse Carol.

–Certo querida eu tomo conta delas– disse Lupe.

–Olha o buff– disse Pricea que ela e Lily botaram as mãos abertas na frente e usaram as magias– BENÇÃO! AUMENTAR AGILIDADE! IMPOSITIO MANUS! BENEDICTIO SANCTISSIMI SACRAMENTI! ASPERSIO! GLÓRIA!

Billy,Dudu, Carol,Ewertton, Kimberly,Luclock e Lupe receberam os efeitos das habilidades, Lupe ficou com elas enquanto os outros foram lutar.

Luclock e Ewertton foram ajudar Tom com os monstros.

–Ewertton use a magia de espírito em mim e no Tom– disse Luclock.

Ewertton se concentra e depois aplica:

–ESPIRITO DO ARTISTA! ESPÍRITO DO TEMPLÁRIO!

Luclock e Tom ficaram azuis.

–RAJADA DE FLECHAS– grita Luclock atirando duas flechas atingindo o Serial Killer.

–O que é isso?– pergunta Tom.

–É uma habilidade que melhora as suas técnicas de templário principalmente a do Escudo Bumerangue– responde Ewertton.

–Obrigado vou tentar– disse Tom que tira o escudo e faz a posição de jogar e grita– ESCUDO BUMERANGUE!

Ele joga o escudo e os buracos de cada lado do escudo saem um fogo azul, o escudo vai em direção ao Serial Killer que corta os braços dele, e Tom aproveita, pega o escudo que veio de volta pra ele, usa a espada, salta e grita:

– GOLPE FULMINANTE!

A lamina da espada de Tom ficou branca e ela atravessou o monstro cortando-o e morreu.

–Eu gostei dessa técnica, muito obrigado espiritualista– disse Tom.

–De nada e deixa esse ninja comigo– disse Ewertton que fez um sinal de “vem cá” para o Shinobi.

Ele e Ewertton começam a saltar de casa em casa igual a Fábio e Tarsila, mas quando o monstro joga as estrelas no espiritualista ele desvia rapidamente e Ewertton dá um salto e usa as magias de espírito.

–ESTIN!

Um disco espiritual cortante atinge cortando um dos braços do ninja, que é o direito.

–ESMA!

Dois discos espirituais, aparecem e atinge o Shinobi cortando e ele é morto.

Carol e Kimberly lutam com a Lisa.

–Agora você vai me pagar pelas chicotadas– disse a alquimista.

–Pode vir– disse Lisa num tom provocante.

Kimberly foi pra cima dela usando o machado, mas a odalisca usa a chicotada pra envolver o seu pescoço e puxar pra que ela morra enforcada, mas Carol a salva dando um chute aéreo fazendo a odalisca cair no chão.

–Você não é doida de fazer isso não é, loira oxigenada?– pergunta Carol.

–NÃO ME CHAME DE LOIRA OXIGENADA– grita Lisa com raiva que os olhos dela ficaram vermelhos e quando foi dar uma chicotada em Carol, ela salta e o chicote bateu no chão fazendo abrir um pequeno buraco.

–Caramba ela esta furiosa, cuidado com ela– disse Kimberly.

Lisa viu a alquimista falar e partiu pra cima dela, quando deu uma chicotada ela se defende como machado, e o chicote atingiu o machado quebrando-o.

–Vocês não vão conseguir me deter, EU VOU ACABAR COM VOCES DE UMA VEZ POR TODAS– grita Lisa.

Ela corre pra cima de Kimberly gritando, e Carol a ataca por trás com o chute aéreo fazendo cair no chão.

–DROGA– grita Lisa.

Ela se levanta e diz:

–Eu voltarei clamando vingança.

Ela joga uma bomba de fumaça e depois desaparece.

Richard que estava lutando com Dudu e Billy percebeu que a sua namorada desapareceu e disse:

–A gente volta, mas eu deixo um presente pra vocês.

Ele pega o galho sangrento e quebra invocando a MVP Serpente Suprema.

–Essa não, mais um problema apareceu– disse Dudu.

–Acabe com eles– disse Richard pra MVP que depois usa uma bomba de fumaça e desaparece.

Monique usa a chuva de flechas em Lupe, Lily e Pricea e o mago rapidamente usa a magia.

–ESCUDO MÁGICO!

Três escudos apareceram envolvendo os três e as flechas atingiram os escudos mágicos. Kimberly fica com raiva e depois olha pra MVP que foi invocada e diz:

–Não tem problema a serpente irá acabar com vocês e com a cidade.

Ela tira uma bomba de fumaça e joga no chão e a fumaça sai e ela desaparece.

–Essa não ela deve ser muito forte.

Fábio continuava lutando com Tarsila num beco, Tarsila usa a técnica:

–LAMINAS DESTRUIDORAS.

Golpeando rapidamente a maioria atingiu Fábio, o resto ele consegue se defender, mas está fraco e ela rir sarcasticamente e diz:

–Agora é o seu fim.

Quando esta prestes a dar o último golpe, uma flecha atinge violentamente a testa dela que ela para e cai no chão morrendo em seguida.

–Essa flecha é de...– disse Fábio que olha e vê a Lila que já é uma caçadora no telhado.

Billy, Carol, Dudu, Ewertton, Kimberly, Lily, Luclock, Lupe, Pricea e Tom estão lutando contra a MVP Serpente Suprema e os cinco Ermitões Malignos que ela invocou.

–Nossa essa MVP é um pé no saco, esta difícil de matar ela– disse Luclock arfando enquanto Billy, Dudu e Tom lutavam com a serpente.

–Nós não vamos desistir temos que derrotá-la e proteger essa cidade– disse Lupe arfando.

–CURAR– gritam Lily e Pricea botão as mãos abertas na frente mirando no bardo e no mago que uma luz verde-brilhante envolve os dois curando.

–Obrigado sacers – agradece Lupe.

A serpente ataca os três que estão lutando com ela, Billy, Dudu e Tom se esquivam.

–Precisamos de mais poder, Ewertton use os espíritos rápido– disse Billy.

Ewertton que acaba de se esquivar dos tiros dos Ermitões, fica atrás deles, se concentra e grita:

–ESPIRITO DO FERREIRO, ESPÍRITO DO TEMPLÁRIO!

O corpo de Billy, Dudu e Tom ficaram azuis.

–Obrigado– agradece o ferreiro.

–Vou aplicar espíritos nos outros– disse o espiritualista que depois olha pra Kimberly que junto com Carol luta contra os Ermitões Malígnos.

–TERROR ÁCIDO– grita Kimberly jogando o frasco de ácido em um dos Ermitões.

Carol salta pra cima de outro ermitão e grita:

–CONTRACHUTE!

Ela chuta a cara do monstro que fica atordoado, ela salta no mesmo e aplica outro golpe:

–CHUTE DO TORNADO!

Ela da um chute girando atingindo várias vezes o Ermitão que cai da nuvem e morre desaparecendo em seguida.

–Eu sou muito forte– diz Carol se elogiando.

–CAROL CUIDADO– grita Kimberly.

Dois Ermitões atiram bolas pelo canudo que atinge ela e cai no chão.

–Droga eu preciso de mais poder, mas eu não tenho mais ácidos e fogos gregos– disse Kimberly.

Ewertton chega e diz:

–Aqui esta, ESPIRITO DO ALQUIMISTA!

O corpo da alquimista fica azul e ele diz:

–Graças a esse espírito agora você pode criar 50 ácidos, 50 fogos gregos e 50 poções brancas usando só um ingrediente de cada, boa sorte.

–Obrigada– agradece Kimberly.

Ela pega um ingrediente de cada poção e se concentra e depois grita:

–CRIAÇÃO ESPIRITUAL DE POÇÕES!

Magicamente 50 frascos de fogo grego, 50 poções bancas e 50 ácidos.

–Adorei– disse Kimberly que pega e coloca no carrinho quase todas, deixando algumas pra atacar e curar.

Os Ermitões agora avançam pra cima da alquimista.

–Podem vir, e engulam isto.

Ela arremessa dois frascos de fogo grego e dois ácidos nos ermitões que explodem atingindo eles e os monstros morrem desaparecendo em seguida. Depois que morreram a alquimista socorre Carol dando poção branca pra ela.

–Beba, é poção branca– disse Kimberly que dá delicadamente a poção na boca dela e ela bebe e depois abre os olhos e se levanta.

–Obrigada agora vamos ajudar os outros– disse Carol que Kimberly concorda com a cabeça.

Luclock e Lupe lutam contra os dois Ermitões Malignos com a ajuda das sacerdotisas Lily e Pricea.

–LEX AETERNA– grita Lily que um anjo joga as 3 espadas brancas em um dos Ermitões Malignos.

–LANÇAS DE FOGO– grita Lupe que as lanças de fogo caem encima dele que morre.

–LEX AETERNA– grita Pricea que um anjo joga as 3 espadas brancas no outro Ermitão Maligno.

–CHUVA DE FLECHAS– grita Luclock que as flechas atinge o Ermitão Maligno que morre.

–Obrigado mais uma vez, agora só falta a MVP– disse Lupe.

–Isso mesmo, vamos acabar com ela todos juntos, os três ali estão cansados, vamos lá– disse Luclock.

–É isso aí– disseram as sacerdotisas.

Todos se reuniram pra lutar contra a MVP Serpente Suprema.

Ewertton se concentra e aplica os espíritos:

–ESPIRITO DO ALQUIMSTA, TEMPLÁRIO, ARTISTA, FERREIRO E SACERDOTE.

Todos ficaram azuis, menos Carol e Lupe.

–Porque vocês não ficaram azuis?– pergunta Lily.

–Porque os espíritos só funcionam pra 2ª classe e nós vamos no tornar em breve– responde Lupe.

–Eu quero logo virar Mestra Taekowndo– disse Carol.

–Vamos atacar– disse Tom.

Tom, Billy, Dudu e Carol foram pra cima da MVP enquanto Kimberly jogava os frascos de fogo grego e ácidos, Luclock usava Chuva de Flechas, Lupe usava as magias de mago e as sacerdotisas Lily e Pricea curavam os amigos a atacam o MVP usando magias sagradas.

Minutos depois a MVP cai depois de tantos golpes, eles comemoram, mas de repente ela se levanta e ataca Tom que é jogado um pouco pra longe.

–TOM– grita Lily.

–Agora você vai ver– disse Dudu indo pra cima, mas ele é atingido pela cauda dela e também é jogado.

–DUDU– grita Pricea.

Quando vai atacar os outros, cinco facas envenenadas atingem a serpente.

–Essas facas envenenadas são de ... – disse Pricea que olha de onde vieram as facas, os outros acompanham o olhar e vê Fábio e Lila no telhado.

–Irmã que bom que você veio– disse Lily.

Lila pega uma flecha mira pro céu e grita:

–CHUVA DE FLECHAS!

Ela atira pro céu e depois um monte de flechas cai encima da MVP que volta a cair e morre desaparecendo em seguida. Todos finalmente comemoram a morte da MVP e do sumiço dos vilões, mas eles podem voltar.

Lupe89
Super Aprendiz
Super Aprendiz

Mensagens : 39
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 28
Localização : Recife

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Jornada do Lupe - 4ª temporada

Mensagem por Lupe89 em Dom Jul 17, 2011 12:29 am

Pessoal eu não vou mais postar aqui no lendas, eu descobri só agora que esse blog ja virou lenda, ou seja, não esta sendo mais atualizado, agora vou voltar a postar a minha fic lá na NC, pq foi lá que o meu trabalho ficou reconhecido.

Lupe89
Super Aprendiz
Super Aprendiz

Mensagens : 39
Data de inscrição : 07/07/2010
Idade : 28
Localização : Recife

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Jornada do Lupe - 4ª temporada

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum